Como ser freelancer: 11 passos para começar

como ser freelancer imagem 2

Ser freelancer é empreender, e esta costuma ser uma jornada bastante solitária. É difícil saber por onde começar, quais são os primeiros passos, quanto cobrar e até mesmo como conseguir cliente – ou experiência na área.

Nós sabemos, afinal, já houveram muitos freelas antes deste artigo ser escrito, ou seja, nós já percorremos este caminho – e no meio dele cometemos muitos erros e acertos. E nós sabemos o quanto a incerteza nesta jornada pode adiar nosso sonho de trabalhar de uma forma mais livre.

Por isso, neste artigo reunimos um passo a passo prático de como ser freelancer, para que você possa começar a se planejar para sua nova vida!

Vamos lá?

1. Planeje-se

Parece óbvio, mas a maioria das pessoas não se atenta à este passo quando pensa em começar a trabalhar como freelancer – e ele é essencial. Você não precisa criar algo super elaborado e detalhado. Aqui, o ideal é que você possa ter um plano de ação básico e coloque eles no papel – ou numa planilha de Excel.

Recomendamos que você reflita e anote:

      • Quando você quer pedir demissão do seu trabalho atual (se este for o caso);
      • Quanto dinheiro você precisa ganhar para ter uma vida confortável;
      • Quanto dinheiro você precisa ter de reserva financeira;
      • Quais cursos você precisa fazer e livros que precisa ler para se aperfeiçoar;
      • Quais habilidades você precisa desenvolver;
      • Quem pode te ajudar no que você não domina;
      • Como construir seu portfólio (mais sobre o tema adiante);
      • Quais as estratégias vai usar para conseguir clientes (vamos falar melhor sobre isto ao longo do texto, continue lendo);
      • Entre outras ideias.

2. Construa uma reserva financeira

A construção de uma reserva financeira é a base fundamental para seu sucesso como profissional autônomo. Recomendamos que todos os freelancers e nômades digitais prestem atenção especial à este passo. Mas por que?

Todos os negócios demoram um pouco para engrenar, e não é diferente para um freelancer. Mesmo que você já tenha algum cliente, sempre há o risco de perder alguns (isso é MUITO normal!). E, às vezes, perder clientes coincide com um momento em que está difícil prospectar novos clientes (mais normal ainda!). Portanto, é importante que você tenha pelo menos 6 meses de reserva financeira, ou seja, dinheiro suficiente para pagar seus custos básicos por pelo menos meio ano.

Além disso, sem uma reserva financeira, há muito mais pressão sobre você. Há o medo de não conseguir pagar o pagar as contas no próximo mês, de não conseguir mais clientes, de ter que voltar pro emprego e tantos outros. Isso acaba te forçando a aceitar qualquer trabalho freelancer e a aceitar qualquer coisa – o que é péssimo quando você precisa valorizar seu trabalho.

3. Estude sobre sua área de atuação

Aprender sobre sua área de atuação é essencial. É importante que você estude o máximo que puder e, se possível aplique este conhecimento na prática – vamos falar sobre como conseguir experiência sem ter experiência logo mais, então continue lendo.

É essencial que você saiba aquilo que se propõe a fazer, e que esteja sempre se atualizando. Isso vai garantir que você esteja sempre à frente da maioria dos seus concorrentes.

4. Defina seu nicho

Apesar de ser o passo número 4, esta pode ser uma ação mais para a frente. Você não precisa começar logo com tudo perfeito. Entretanto, se você tem afinidade com um nicho específico, talvez seja interessante reforçar sua autoridade naquela área.

Por exemplo: vamos supor que eu seja uma fotógrafa freelancer que ame bebês. Neste caso, é fácil definir meu nicho como fotógrafa newborn, por exemplo, ou fotógrafa infantil. 

Já um programador que ama jogos, pode se estabelecer no nicho de programação de jogos. Enquanto isto, um especialista em SEO que gosta de trabalhar com e-commerce, pode fortalecer sua autoridade nesta área e só trabalhar com lojas online.

Além de te ajudar a sentir mais prazer no seu trabalho, definir um nicho vai ajudar os clientes certos a te encontrar. Desta forma, você tem a chance de ser “o cara” para aquele tipo específico de serviço.

5. Crie um portfólio

Antes de começar a trabalhar como freelancer, é importante criar um portfólio. Afinal, é muito difícil ser contratado por um cliente que não tem nenhuma referência do que você pode fazer por ele.

Se você nunca teve um cliente e não possui um portfólio, você pode procurar empresas para oferecer seus serviços de graça ou com um bom desconto. É importante, entretanto, avisar que as condições especiais são únicas para que você construa seu portfólio.

Foi exatamente isto que eu fiz quando comecei a trabalhar como fotógrafa. Eu fotografei duas pessoas e um evento, todos de graça. Editei as fotos e publiquei nas redes sociais, e então comecei a receber mensagens de pessoas que começaram a me contratar!

6. Divulgue seu trabalho online

Depois de criar um portfólio, é hora de deixá-lo ver a luz do dia. Coloque seus melhores trabalhos online – não todos eles!!! Você pode construir um site ou blog, ou até mesmo divulgar seu portfólio nas suas redes sociais ou sites como o Behance.

Você não precisa fazer marketing de conteúdo se não quiser, mas é interessante ter uma página online com seus trabalhos lá. Desta forma, pode enviar o link para possíveis clientes para que eles vejam tudo que você já produziu.

Dica de livro: Mostre seu trabalho, por Austin Kleon

“Mostre seu trabalho”, a segunda obra do autor do sucesso de vendas “Roube como um artista”, é um excelente livro para empreendedores e artistas que querem tornar seu trabalho conhecido e promovê-lo.

O livro, assim como o anterior, é de leitura fluida. Simples, prático e objetivo, é fácil de ler e é um grande convite para a mudança. Extremamente inspirador.

7. Calcule seu preço

Calcular seu preço como freelancer pode ser uma das tarefas mais desafiadoras nesse processo. Por isso, nós exploramos melhor esta questão no nosso artigo sobre quanto ganha um freelancer.

De qualquer forma, você precisa calcular o preço do seu trabalho e definir como vai cobrar por isto: por hora, por projeto, etc. Quando enviar uma proposta para um trabalho, é importante que tenha pelo menos uma média de quanto quer cobrar.

Além disso, você deve levar em consideração algumas variáveis como:

      • seus custos
      • o quanto você quer ganhar por mês
      • quantas horas quer trabalhar
      • o quanto precisa investir
      • os preços praticados no mercado
      • seu nível de experiência
      • duração do projeto
      • complexidade do projeto
      • objetivos/resultados a ser entregues
      • localização geográfica do cliente
      • urgência do projeto
      • entre outros.

Entretanto, você pode realizar ajustes no seu preço conforme for ganhando mais experiência e também conforme for entendendo melhor o seu trabalho. Muitas vezes, começamos cobrando demais ou de menos porque não entendemos a complexidade de um projeto ou subestimamos o tempo que ele nos demanda. Ao longo do caminho vamos aprendendo e realizando os ajustes necessários – é normal.

8. Crie um contrato

Outro passo bastante subestimado para aqueles que querem trabalhar como freelancer é a criação de um contrato. Porém, é absolutamente imprescindível que você tenha algum tipo de contrato de trabalho com seu cliente. Não precisa ser nada muito complexo e elaborado, pode ser um contrato simples ou até mesmo um e-mail formalizando tudo que está – e não está – incluído.

Você precisa explanar os limites do seu trabalho muito bem, ou pode sair no prejuízo (por exemplo, ter que fazer algo de graça porque não mencionou que não estava incluso).

Entretanto, você nunca vai ter o contrato perfeito. É comum que, a cada novo cliente, haja uma ou outra condição à ser adicionada. Conforme os imprevistos vão aparecendo, você percebe o que faltou comunicar no projeto anterior e ajusta.

Se quiser saber mais sobre como elaborar o contrato – quase – perfeito, dá uma olhada neste artigo.

9. Candidate-se à vagas em sites para freelancers

Existem diversos sites para profissionais freelancers por aí, desde os nacionais como 99freelas e Workana, até os internacionais como Upwork e Fiverr. Eles são a melhor forma de conseguir trabalhos como freela quando se está começando, de forma rápida.

Você pode pesquisar por trabalhos na sua área e enviar sua proposta para os clientes, além de ser convidada para projetos específicos. Falamos melhor sobre como conseguir trabalhos de freelancer nestes sites neste artigo.

10. Aprenda com seus concorrentes

Se você não sabe muito bem como funciona o mercado e não tem muita ideia de quanto cobrar, uma boa ideia é olhar para os seus concorrentes. Como eles estão promovendo seu trabalho? Quanto eles cobram? Quais são os diferenciais deles?

Você pode fazer isto através de uma simples pesquisa no Google, ou redes sociais, mas também pode publicar um trabalho na sua área num site de freelancers e ver quem aparece, seus trabalhos e como eles enviam as propostas deles. Esta é uma ótima estratégia, inclusive, para perceber o que chama mais a atenção na hora de enviar sua proposta, assim você pode aprender a criar uma oferta mais atraente também!

11. Construa uma audiência online

Outra forma bastante eficiente de conseguir clientes é construindo uma audiência online e usando seus posts para tornar-se referência na sua área de atuação.

Você não precisa ter milhares de seguidores, apenas precisa atrair a audiência certa. Por isso, é importante ter estratégia na criação de conteúdo e publicar aquilo que vai fazer as pessoas certas chegarem até você.

Criar conteúdo de forma consistente que reforce sua autoridade no seu nicho faz com que seus seguidores te enxerguem como uma referência naquele assunto. Isto estabelece confiança e faz com que eles lembrem de você quando precisarem de um profissional naquela área.

Uma rede bastante efetiva para esta forma de marketing é o LinkedIn (não, ele não é só um site de cadastrar currículos). Isso porque a maioria das pessoas que está lá usa a rede por motivos profissionais. Portanto, os contatos estabelecidos por lá são extremamente valiosos.

Dica de curso: LinkedIn para Marcas Pessoais, com Dimitri Vieira

Este é um dos melhores cursos sobre LinkedIn para freelancers e profissionais autônomos em geral. 

Nele, Dimitri (que trabalhou durante anos na estratégia de marketing de conteúdo da Rock Content e foi eleito Top Voice pelo LinkedIn) te ensina a construir sua marca pessoal e autoridade na rede sem precisar “se vender” o tempo todo.

Além disso, ele te mostra as melhores práticas da plataforma, como fazer networking e como produzir os melhores artigos e posts no feed para atrair a audiência certa.

E aí, gostou das dicas? Nos conta se elas foram úteis para você e como estão seus planos para ser freelancer!

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais artigos como este

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)

Precisa de ajuda?

Quer ser freelancer mas não sabe por onde começar? Nós te damos uma mão!