befreela logo 2

Inteligência emocional no trabalho: o que é e como cultivá-la?

inteligencia emocional no trabalho imagem 1

A inteligência emocional no trabalho é uma das maiores virtudes que um profissional pode desenvolver.

Ela ajuda a melhorar a produtividade, o relacionamento interpessoal, a autoconfiança e mesmo a resiliência para se manter focado em metas e prazos.

Mas como cultivar essa inteligência emocional? Será que existe um passo a passo a ser seguido para alcançá-la?

É isso que vamos discutir neste artigo, confira abaixo:

O que é inteligência emocional?

O conceito de inteligência emocional, desenvolvido por Daniel Goleman, representa a capacidade de administrar as próprias emoções mediante a todos os tipos de situações e lidar com os sentimentos de pessoas ao seu redor, em resultado navegando melhor nos relacionamentos interpessoais.

Quando falamos de inteligência emocional, é comum considerarmos os elementos que a compõem. Por isso, abaixo você pode ler um pouco sobre cada um destes 5 elementos essenciais:

1. Controle emocional

Controlar as emoções é uma virtude excepcional tanto para a vida profissional quanto a vida pessoal de alguém. Quando reconhecemos o que estamos sentindo, é possível se adaptar melhor a cada tipo de circunstância.

Principalmente em situações de conflito, é fundamental saber esfriar a cabeça, recompor-se e agir de maneira equilibrada.

PS: é importante, entretanto, não confundir controle emocional com reprimir suas emoções! As duas coisas são completamente diferentes!

2. Autoconhecimento

Trabalhar no seu autoconhecimento é compreender os seus pontos fortes e fracos, a sua personalidade, a própria forma como você sente e reage a determinadas situações.

Isso é primordial para gerenciar melhor os desafios do cotidiano, os projetos no trabalho, os tipos de relacionamentos profissionais que deseja cultivar etc.

3. Relacionamentos interpessoais

A inteligência emocional é um verdadeiro curinga quando o assunto é relacionamentos interpessoais, pois auxilia na construção de conexões leves e justas com outras pessoas.

Por sua vez, isso contribui para um ambiente de trabalho mais produtivo e uma convivência mais harmônica com a equipe, o que é excelente considerando a inteiração constante com os colegas.

4. Empatia

A empatia é uma das habilidades mais importantes de se cultivar, porque contribui para o desenvolvimento de melhores seres humanos. Se você ocupa cargos de liderança, inclusive, essa competência é importante e será muito apreciada pelos colaboradores.

Aprenda a identificar e se solidarizar com os sentimentos de quem trabalha com você, respeitando e atuando com compreensão no dia a dia.

5. Automotivação

Cultivar a automotivação é um combustível principal no ambiente de trabalho, pois assim você consegue traçar e estabelecer metas e objetivos com excelência, sempre respeitando o próprio tempo.

É especialmente importante em momentos de maior cansaço ou desânimo, evitando que perca totalmente a resiliência e acabe desistindo quando desafios surgirem.

Dica de livro: Inteligência emocional: A teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente, por Daniel Goleman

Nesta obra, o autor, que foi o responsável por popularizar o conceito de inteligência emocional, se apoia em conceitos da psicologia e da neurociência para ensinar a importância da consciência das emoções para o desenvolvimento da inteligência.

Usando casos cotidianos como exemplos, ele mostra como as cinco habilidades principais influenciam no sucesso ou fracasso de negócios, relacionamentos e em todas as decisões que tomamos. É um livro que te ajuda a se tornar uma pessoa mais autoconfiante e motivada.

Quais os benefícios a inteligência emocional pode nos trazer?

São muitos os benefícios trazidos pela inteligência emocional, já que ela atua na união do racional e do emocional para o melhor equilíbrio possível.

Ela nos ajuda a gerenciar melhor os nossos sentimentos e adequá-los de acordo com as situações, o que ajuda muito para a preservação e manutenção da saúde mental.

Também ajuda a perceber melhor as nossas necessidades e desejos, o que evita que entramos em quadros prejudiciais como sobrecarga de trabalho e estresse elevado. Infelizmente é comum encontrar profissionais lutando contra quadros de ansiedade, depressão e Burnout.

Desenvolvendo a inteligência emocional, você consegue levar os dias com mais leveza e tranquilidade além de fortalecer o seu poder de tomar decisões e a autoconfiança em si mesmo como profissional.

Por que ela é importante no ambiente de trabalho?

O ambiente de trabalho pode ser um espaço bastante competitivo e estressante, a depender do segmento de mercado e principalmente a equipe de colaboradores e líderes.

Alguém que desenvolve a inteligência emocional não só ganha benefícios próprios para manter uma vida saudável como também se destaca na empresa, porque suas atitudes refletem no desempenho profissional.

Você consegue trabalhar melhor em equipe, gerenciar conflitos e se transforma em uma pessoa muito mais produtiva e flexível, capaz de se adaptar a mudanças e imprevistos rapidamente.

É capaz de resolver problemas com mais estabilidade e evita agir por impulso ou com desrespeito, o que é bem benéfico no trabalho. Todas essas características são muito valorizadas tanto por gestores de RH como por líderes de setores.

A inteligência emocional é o principal fator de sucesso das pessoas, segundo o próprio Daniel Goleman.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Se você deseja desenvolver a inteligência emocional, melhorando a qualidade de vida no trabalho, existem alguns passos importantes que pode seguir.

1. Crie consciência sobre si mesmo

O primeiro passo é trabalhar na maior consciência sobre suas ações e sentimentos, o autoconhecimento que já foi mencionado acima.

Para conquistar este autoconhecimento, você pode agir por conta própria através de muita observação e exercícios como manter um diário de sentimentos e emoções relacionados a tudo o que faz ou lhe afeta no dia a dia: reuniões de trabalho, comportamentos de colegas, conversas com líderes etc.

Além disso, existem algumas outras ações nas quais pode investir para tornar o processo mais assertivo como as ações abaixo:

      • Através da psicoterapia e junto a um profissional qualificado, você conseguirá explorar o seu interior com mais profundidade, entendendo o que te motiva e o que te desanima, o que te alegra e o que te entristece. Também te ajuda a reconhecer suas fraquezas e seus limites, a controlar as emoções, a se tornar mais resiliente e a respeitar você mesmo.
    •  
      • A prática da meditação Mindfulness também é uma ótima opção, já que o seu pilar principal é se concentrar no presente, criando um momento ideal para a reflexão e introspecção e permitindo que regule as emoções através da atenção plena. Praticar a yoga é um benefício extra.
    •  
      • Testes de personalidade também podem te ajudar a se conhecer melhor. Existem testes confiáveis, como o Myers-Briggs Type Indicator, que foi desenvolvido pelas psicólogas Isabel Briggs Myers e Katharina Cooks Briggs para identificar o tipo psicológico de alguém.

PS: Ainda neste âmbito, as próprias empresas podem incentivar o estímulo do autoconhecimento através de mapeamentos comportamentais, com cada colaborador recebendo um relatório com tendências comportamentais sobre o que os motiva e outras características.

2. Melhore a comunicação com as pessoas ao redor

Muitas emoções afloram em nós por conta de inteirações e relacionamentos interpessoais. Por essa razão, uma parte essencial para o desenvolvimento da inteligência emocional é melhorar a comunicação com as pessoas.

Dessa maneira, conflitos e mal-entendidos entre colegas são evitados, garantindo assim um ambiente de trabalho harmonioso.

Também ajuda a evitar que tenha reações instantâneas pautadas numa reação automática e impulsiva do cérebro.

Agindo com atenção e calma, você se posiciona como alguém centrado e confiável a agir da melhor forma possível.

3. Acolha os feedbacks sobre você

No ambiente de trabalho, é comum que recebamos feedbacks — de líderes ou colegas de trabalho. Pode ser algo informal, como uma conversa despojada no intervalo do café, ou uma ação formal através de um e-mail escrito.

É preciso saber acolher esses feedbacks e aprender com eles, porque aí está uma grande oportunidade de perceber a imagem que as pessoas têm sobre você e como aperfeiçoar suas tarefas e ações.

Pode ser uma tarefa difícil de início, quando os feedbacks não forem positivos, mas é importante saber se distanciar do ego e de uma possível mágoa para ressignificar esses comentários, tornando-se alguém mais qualificado e seguro do próprio trabalho.

Quer se apoiar no aprendizado para te ajudar a desenvolver inteligência emocional? Então confira as nossas dicas de livros motivacionais sobre uma das habilidades principais para te auxiliar neste processo.

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais artigos como este

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)

Precisa de ajuda?

Quer ser freelancer mas não sabe por onde começar? Nós te damos uma mão!