Brasileiro pode trabalhar em Portugal? – Vistos, startups e outras oportunidades

Quando aterrissei em Lisboa em 2023, estava curioso para ver como a capital portuguesa havia evoluído. Apesar dos relatos antigos de crise econômica e desemprego elevado, a realidade que encontrei foi de vibrante recuperação e inovação.

Transformação Econômica e Progresso

Recordando a crise de 2012, quando a economia portuguesa encolheu 3,2% e o desemprego atingiu 18%, a transformação é notável. Em 2023, Portugal mostra um crescimento estável e o desemprego mantém-se em um dígito, refletindo uma recuperação sólida e sustentada.

Lisboa, em particular, renasceu. Antes vista como um mero destino turístico, agora é um epicentro para startups e empreendedores. Com custos de vida ainda competitivos na Europa e uma qualidade de vida elevada, a cidade se tornou um ímã para brasileiros buscando novas oportunidades no Velho Continente.

A cena de startups em Lisboa

LX Factory
Foto: Laís Schulz.

Portugal tem investido bastante no seu objetivo de ser tornar o maior hub tecnológico da Europa – aliás, Lisboa já é chamada carinhosamente de “California europeia”.

LX Factory, o coração pulsante da inovação em Lisboa, ilustra essa mudança. O que era um complexo industrial desativado, agora é um conglomerado de lojas criativas, cafés modernos e espaços de coworking. É um local onde a energia empreendedora é palpável.

A presença do Web Summit, desde 2016, cimentou Lisboa como um hub tecnológico de peso. Este evento anual atrai milhares de entusiastas de tecnologia, investidores e criadores de startups, consolidando ainda mais a reputação da cidade como a “Silicon Valley” da Europa.

Abaixo, algumas fotos que a Laís fez na LX Factory.

LX Factory
Foto: Laís Schulz.
LX Factory
Foto: Laís Schulz.
LX Factory
Foto: Laís Schulz.

Visto para nômades digitais em Portugal

Em resposta ao crescente movimento de trabalho remoto, Portugal introduziu recentemente um visto específico para nômades digitais, marcando um passo significativo em sua adaptação às tendências globais de trabalho.

Esse visto é direcionado a profissionais que operam remotamente e desejam viver em Portugal, aproveitando sua infraestrutura, cultura e qualidade de vida elevada.

Com o visto, os nômades digitais podem residir legalmente no país, mantendo suas atividades profissionais para empresas ou clientes fora de Portugal.

Para ser elegível para o visto de nômade digital, os candidatos precisam atender a vários requisitos, incluindo a comprovação de renda estável e a aquisição de um seguro de saúde válido em Portugal.

👉 Leia também: Estônia lançará visto para nômades digitais

StartUp Visa Portugal: a chance de escalar um negócio dentro da União Europeia

O governo português tem feito muitos esforços para garantir que a economia do país cresça rapidamente baseada em ideias inovadoras, principalmente ligadas à tecnologia. Em janeiro deste ano, Portugal deu um passo importantíssimo na sua busca para ser reconhecido como o país europeu das startups.

Com a criação do StartUp Visa, o governo português abriu suas fronteiras para que cidadãos de todo o mundo criem empresas inovadoras em Portugal e obtenham permissão de residência no país. O legal é que, se você já tem uma startup, também pode se candidatar ao programa e se mudar para Portugal, passando pelo mesmo processo de avaliação que as novas empresas passarão, porém, com a vantagem de ter um projeto mais estruturado para apresentar.

O programa conta ainda com uma lista de incubadoras certificadas, as quais acolherão os empreendedores brasileiros, oferecendo o apoio necessário para o desenvolvimento das startups. A lista das incubadoras certificadas pode ser consultada no site da IAPMEI, agência do governo que oferece apoio à formulação de medidas de inovação e de sustentabilidade empresarial.

O StartUp Visa, porém, não implica em nada na existência do já conhecido visto de empreendedor – como veremos no próximo tópico.

Visto para empreendedores e oportunidades para brasileiros em Portugal

lisboa-oportunidades-para-brasileiros-em-portugal
Foto: Laís Schulz.

Com o intuito de atrair empreendedores estrangeiros para o país, Portugal oferece um visto especial, chamado visto D2, para cidadãos que pretendam investir ou abrir uma empresa no país.

Para o empreendedor brasileiro, o primeiro passo para abrir uma empresa é solicitar um Número de Identificação Fiscal (NIF), que corresponde ao nosso CPF. Para obter o visto D2 é preciso comprovar um investimento mínimo de €5 mil – o que pode ser feito mediante a apresentação de extratos bancários, por exemplo.

O visto de empreendedor não tem uma avaliação tão rigorosa quanto o StartUp Visa e não tem qualquer exigência para criação de emprego qualificado. Também não existe a obrigatoriedade de gerar um grande volume de negócios.

De modo geral, enquanto o StartUp Visa tem um foco muito grande em ideias inovadoras, o visto para empreendedores é concedido para pessoas que já empreendem no Brasil – incluindo aí os nômades digitais.

Você pode conferir todos os requisitos para conseguir o seu visto de empreendedor e as demais oportunidades para brasileiros em Portugal acessando o site do Consulado Geral de Portugal em São Paulo.


E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)

Deixe um comentário

Matheus de Souza
Matheus de Souza
Escritor, educador e TEDx Speaker. Autor de "Nômade Digital", livro finalista do Prêmio Jabuti. Colunista do Terra e editor da newsletter Passageiro no Substack.

Mais artigos como este