Cidades em Portugal que pagam para morar: receba até €5200

Você já ouviu falar de cidades que pagam para morar? Pois é, Portugal também tem um programa que oferece este incentivo.

Mas, para isto, você precisa estar disposto a morar no interior de Portugal, e viver em uma cidade pequena, geralmente no Norte do país, sem muita infraestrutura, além de atender a outros pré-requisitos.

Agora, se isto não é um problema para você, continue lendo e saiba tudo sobre as melhores cidades para morar em Portugal que te pagam para viver lá!

Vamos lá?

Afinal, Portugal paga mesmo para morar?

Sim, Portugal oferece incentivos para pessoas que se mudam para regiões menos povoadas no interior do país. Este apoio faz parte do Programa Trabalhar no Interior, criado para promover o desenvolvimento regional e combater a despovoação. Os incentivos incluem apoio financeiro direto aos trabalhadores que se mudam para o interior, benefícios adicionais para famílias, auxílio no transporte de bens e incentivos fiscais. Este programa é parte de um esforço mais amplo para tornar estas áreas mais atrativas e dinâmicas.

Como funciona a lei?

O Programa Trabalhar no Interior em Portugal tem como objetivo promover a mobilidade geográfica para o interior do país. Ele oferece incentivos financeiros diretos a trabalhadores que se mudam para o interior, além de apoiar o transporte de bens. Há benefícios adicionais para emigrantes que retornam a Portugal e escolhem viver nessas áreas. O programa também inclui medidas para melhorar a oferta de habitação e a qualidade de vida, e incentiva o desenvolvimento de empregos e formação profissional no interior, reforçando a atração e retenção de pessoas e empresas nestas regiões.

Quais são os incentivos?

Os incentivos do Programa Trabalhar no Interior incluem:

      1. Apoio financeiro direto a trabalhadores que se mudam para regiões do interior.
      2. Comparticipação dos custos de transporte de bens.
      3. Majoração dos incentivos para emigrantes que retornam a Portugal e se instalam no interior.
      4. Benefícios fiscais para empresas que criam empregos no interior.
      5. Apoio à habitação através do programa “Habitar no Interior”.
      6. Divulgação de empregos disponíveis no interior e formação profissional nestas regiões.
      7. Estímulo ao desenvolvimento local e regional com projetos-piloto para habitação e qualidade de vida.

Quais são as condições para receber o apoio financeiro?

Para se qualificar para o apoio do Programa Trabalhar no Interior, é necessário:

      • que o contrato de trabalho seja permanente ou tenha uma duração mínima de 12 meses
      • que  o salário deve ser pelo menos o salário mínimo nacional.
      • que a mudança de residência para o interior deve ocorrer 90 dias antes ou depois do início do contrato ou da criação do emprego ou empresa
      • a residência anterior não deve estar localizada em uma área classificada como interior
      • a permanência na nova localidade deve ser de no mínimo um ano.

👉 Leia também: Como conseguir a residência em Portugal: o guia completo

Qual o valor do apoio?

O valor do apoio do programa Emprego Interior MAIS é baseado no Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

O apoio financeiro máximo é de 2.882,58 euros, aumentando em 20% por cada membro da família que se mude, até um limite de 1.441,29 euros.

Há também um auxílio para custos de transporte de até 960,86 euros.

O total pode chegar a 5.284,73 euros.

O pagamento é realizado em três etapas:

      • 50% após aceitação
      • 25% no sétimo mês
      • 25% no décimo terceiro mês.

Para se candidatar, você deve acessar o portal IEFP online, preencher o formulário e enviar a documentação necessária.

Lembre-se: o valor específico do apoio financeiro oferecido pelo Programa Trabalhar no Interior pode variar de acordo com vários fatores, como a situação individual do trabalhador, o tamanho do agregado familiar que se muda com ele, e possíveis custos adicionais, como o transporte de bens.

Quem é elegível para o programa?

O apoio financeiro do Programa Trabalhar no Interior está disponível para uma variedade de candidatos, incluindo desempregados e empregados que buscam novo emprego e estão inscritos nos serviços de emprego, tanto no continente quanto nas regiões autónomas.

Também se estende a pessoas que não contribuíram para a Segurança Social no mês anterior à candidatura, emigrantes que saíram de Portugal após 31 de dezembro de 2015 e residiram fora do país por pelo menos um ano, cidadãos estrangeiros que se mudam diretamente para o interior de Portugal e pessoas que trabalham em regime de teletrabalho.

👉 Leia também: Como tirar o NIF em Portugal estando no Brasil

Quer tirar seu NIF e NISS de forma remota? Então clique no link abaixo e use o código FREELA20 para garantir 20% na contratação dos serviços da Anchorless (exceto para vistos).

Até quando o programa tem validade?

O Programa Emprego Interior MAIS, criado pelo governo de Portugal para incentivar a vida e o trabalho no interior do país, teve sua validade estendida até 31 de dezembro de 2023. Este programa tem como objetivo estimular trabalhadores e famílias a se mudarem para regiões menos habitadas, com várias formas de apoio e incentivos financeiros. Para mais informações detalhadas, você pode visitar o site da fonte aqui.

As 10 principais cidades de Portugal que pagam para morar

Os principais concelhos e freguesias elegíveis para o benefício do Programa Trabalhar no Interior abrangem uma ampla gama de localidades em todo Portugal. Mas, a sua maioria está localizada no norte de Portugal. Incluem distritos como Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real, e Viseu. 

Muitos destes distritos têm a totalidade de suas freguesias elegíveis, enquanto outros têm apenas algumas freguesias específicas que se qualificam para o programa.

Para informações detalhadas e a lista completa das cidades, clique aqui.

1. Arouca (Aveiro)

Este concelho é um tesouro de belezas naturais e património histórico. Além dos famosos Passadiços do Paiva, que oferecem uma experiência única de caminhada, Arouca possui uma rica tradição gastronómica e o Geoparque Arouca, reconhecido pela UNESCO. O Mosteiro de Arouca, um marco histórico, realça a rica tapeçaria cultural da região.

2. Bragança

Situada na região Norte de Portugal, Bragança é uma cidade que mistura história e natureza. O castelo medieval, um dos mais bem preservados de Portugal, oferece uma janela para o passado, enquanto o Parque Natural de Montesinho é um refúgio para a biodiversidade e para os amantes do ecoturismo.

3. Castelo Branco

Este concelho é um centro de cultura e história, com locais como o Jardim do Paço Episcopal e o Museu Francisco Tavares Proença Júnior. A cidade é também um ponto de partida para explorar a Serra da Gardunha e suas aldeias históricas, oferecendo uma experiência rica em tradições e paisagens naturais.

4. Lousã (Coimbra)

Conhecida pelas suas serras e aldeias de xisto, a Lousã é um destino perfeito para os amantes da natureza. A Serra da Lousã, com suas trilhas e vistas panorâmicas, proporciona um ambiente sereno. As aldeias de xisto, como a Aldeia do Talasnal, oferecem um vislumbre de um modo de vida tradicional e pacífico.

5. São Pedro do Sul (Viseu)

Este concelho é famoso pelas suas termas terapêuticas, atraindo visitantes em busca de bem-estar. A região é também rica em património natural, com o rio Vouga e suas paisagens, ideal para atividades ao ar livre como caminhadas e ciclismo.

6. Alvaiázere (Leiria)

Alvaiázere é um convite à tranquilidade, com a sua natureza luxuriante e património cultural. A região é conhecida pela produção de chícharos, que são celebrados anualmente num festival. A área circundante oferece oportunidades para caminhadas e apreciação da natureza.

7. Arganil (Coimbra)

Arganil, localizada no coração da Serra do Açor, é uma porta de entrada para paisagens naturais deslumbrantes. A região é conhecida pela sua beleza serena, com rios cristalinos e aldeias pitorescas, oferecendo um refúgio para quem procura uma vida mais tranquila e próxima à natureza.

8. Miranda do Corvo (Coimbra)

Este concelho oferece uma combinação de beleza natural e património cultural. A Serra da Lousã e a aldeia do Gondramaz são pontos de interesse locais, enquanto a festa de São João é um exemplo das tradições culturais vivas.

9. Pampilhosa da Serra (Coimbra)

Famosa pelas suas paisagens de montanha, Pampilhosa da Serra é um destino tranquilo e pitoresco. Oferece oportunidades para atividades ao ar livre como caminhadas, canoagem e observação de aves, além de aldeias históricas e uma cultura local rica.

10. Penacova (Coimbra)

Penacova é conhecida pelas suas vistas espetaculares do rio Mondego e pela riqueza histórica, incluindo o Mosteiro do Lorvão. A região oferece várias trilhas para caminhadas e ciclismo, além de ser um local ideal para a prática de desportos aquáticos no rio.

Outras cidades para morar em Portugal (sem incentivos)

Aqui estão sete cidades notáveis em Portugal que, embora não incluídas no Programa Trabalhar no Interior, são destinos atraentes para morar:

      1. Lisboa: A capital de Portugal é conhecida pela sua vibrante vida cultural, história rica e belas paisagens. Oferece uma mistura de modernidade e tradição, com uma vida noturna animada e uma gastronomia diversificada, perfeita para quem está acostumado com os grandes centros. Entretanto, o custo de vida – especialmente do aluguel – está nas alturas nos últimos anos.

      2. Porto: Conhecida como a “Cidade Invicta”, o Porto é famoso pelo seu vinho, arquitetura histórica e o charmoso rio Douro. Uma cidade de grande importância cultural e econômica em Portugal. A cidade do porto é uma das grandes cidades de Portugal, atrás apenas de Lisboa. O custo de vida é mais baixo do que Lisboa, mas também aumentou muito nos últimos anos.

      3. Coimbra: Esta cidade universitária histórica é conhecida pela Universidade de Coimbra, uma das mais antigas da Europa. Coimbra oferece um ambiente académico vibrante e é rica em história e tradição. É uma das cidades maiores no Norte de Portugal. Devido ao alto número de estudantes, esta é uma das cidades mais baratas para morar em Portugal, quando consideramos cidades de médio porte.

      4. Braga: Outra cidade localizada na região Norte, Braga é a cidade mais antiga de Portugal, e tem uma profunda herança histórica e religiosa. A cidade é famosa pelas suas igrejas, eventos culturais e pela tranquilidade de vida, combinando a modernidade com a tradição.

      5. Faro: Localizada no Algarve, Faro é uma boa opção para quem busca viver perto do litoral, com praias deslumbrantes e clima ameno. Faro é uma porta de entrada para muitas das pitorescas cidades e praias da região.

      6. Aveiro: Frequentemente chamada de “Veneza de Portugal”, Aveiro é famosa pelos seus canais, arquitetura Art Nouveau e os tradicionais barcos moliceiros. Atualmente, uma das cidades com médio porte mais baratas de Portugal.

      7. Évora: Uma cidade com um rico património histórico, Évora é uma pequena cidade, um tesouro da era romana até a Idade Média. Conhecida pela sua bem preservada muralha romana e pelo Templo de Diana. 

👉 Leia também: Como obter o NISS em Portugal: o seu guia completo

Conclusão

Portugal é um país repleto de oportunidades e escolhas quando se trata de encontrar o local perfeito para viver. A decisão de optar por cidades do interior ou locais mais urbanos depende das preferências pessoais e das metas de vida. As vantagens de escolher o interior de Portugal incluem um estilo de vida mais tranquilo, custo de vida acessível e uma rica herança cultural. No entanto, é importante considerar as desvantagens, como a disponibilidade de emprego no interior de Portugal e a possibilidade de acessar serviços urbanos.

Independentemente de onde você escolher morar, Portugal oferece uma qualidade de vida excepcional, com belas paisagens, clima ameno e uma cultura acolhedora. Explorar as cidades para morar no interior pode ser uma jornada fascinante, proporcionando a oportunidade de descobrir a verdadeira essência do país e vivenciar a vida em Portugal de maneira autêntica. Portanto, é possível encontrar o equilíbrio perfeito entre as vantagens e desvantagens, tornando a decisão de morar em Portugal uma experiência enriquecedora e gratificante.

FAQ – Perguntas Frequentes

Para receber incentivos para morar em Portugal, é necessário se candidatar ao programa Emprego Interior MAIS, promovido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Este programa oferece apoio financeiro e vantagens fiscais para pessoas que desejam trabalhar e viver em áreas do interior de Portugal. Para se candidatar, é importante cumprir os requisitos estabelecidos pelo programa, como ter um contrato de trabalho válido, mudar-se para uma área elegível, entre outros critérios.

Portugal oferece incentivos para morar em diversas cidades do interior do país, visando o desenvolvimento dessas regiões. Alguns dos principais concelhos e freguesias que fazem parte do programa Emprego Interior MAIS incluem Amares, Castelo de Paiva, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vila Verde, entre outros. Estas áreas oferecem apoio financeiro e vantagens fiscais para atrair residentes e promover o emprego no interior de Portugal.

O custo de vida em Portugal pode variar de acordo com a região, mas geralmente, as áreas do interior do país tendem a ser mais acessíveis em termos de despesas. Alguns dos lugares mais baratos para se viver em Portugal incluem cidades como Guarda, Castelo Branco e outras áreas do interior. No entanto, é importante lembrar que o custo de vida pode variar dependendo do estilo de vida e das necessidades individuais, por isso é recomendável fazer um planejamento financeiro antes de tomar uma decisão.

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)
Laís Schulz
Laís Schulz
Sou uma fotógrafa e escritora que trabalha como freelancer e viaja o mundo como nômade digital. No meu blog pessoal e na minha newsletter compartilho conteúdos sobre a vida e questões existenciais, além de falar um pouco sobre criatividade e marketing para empreendedores criativos, além de explorar minhas maiores paixões.

Mais artigos como este