O LinkedIn é hoje a maior rede profissional do mundo. São 500 milhões de usuários conectados – 30 milhões apenas no Brasil.

E esse número deve seguir aumentando. Comprado pela Microsoft por mais de US$ 26 bilhões no final de 2016, o LinkedIn tornou-se uma ferramenta incrível para quem está procurando emprego ou buscando fechar novos negócios.

Desde que deixei o mundo corporativo para investir no trabalho remoto e viver como nômade digital, o LinkedIn tem sido meu principal aliado para conseguir “freelas“. E tudo isso apenas produzindo conteúdo, fazendo networking e configurando meu perfil para obter a máxima visibilidade.

Bóra ver como isso funciona na prática?

Antes de mais nada: revise seu perfil no LinkedIn

Vamos ao básico. Antes de ir para a prática, você precisa revisar as informações já existentes no seu perfil.

Escolha uma foto que mostre a imagem profissional que você deseja passar. No meu caso, optei por uma mais “descolada”, sem terno e gravata – já que não pertenço mais ao mundo corporativo.

Independente de qual seja seu foco por lá, invista numa imagem profissional – e isso quer dizer que você deve contratar um fotógrafo.

O próximo passo é definir seu título profissional, aquele que fica logo abaixo do seu nome.

Algumas pessoas optam por colocar algo do tipo “Freelancer | Produtor de Conteúdo | Profissional de Marketing“. Um título nesse estilo é ótimo porque passa o recado e ainda contribui para que você seja encontrado por recrutadores através de palavras-chave. Eu costumava utilizar algo parecido, porém, em 2018 mudei o foco e optei por uma frase que resume minhas atividades.

Feito isso, vamos para o resumo – que também serve para você ser encontrado através das palavras-chave (engana-se quem pensa que apenas o título profissional tem essa função).

Aqui você deve informar suas experiências profissionais de forma sucinta e de um modo que prenda a atenção do leitor. Pense numa primeira frase impactante e crie o texto a partir disso.

Quando preencher os próximos campos com suas experiências profissionais e acadêmicas, seja verdadeiro – não faça como o personagem do Lázaro Ramos em “O Homem que Copiava“. Não tente glamorizar as atividades que desempenha ou desempenhou. Recrutadores são atentos com clichês – e o próprio LinkedIn divulgou uma lista com os clichês mais utilizados na rede.

Essas são apenas dicas rápidas para você otimizar seu perfil. Se você sentir a necessidade de um guia mais detalhado, sugiro que acesse a seção de ajuda do próprio LinkedIn. Lá você encontrará diversas dicas úteis para preencher todos os campos!

Encontrando trabalhos remotos e ‘freelas

Pouca gente sabe, mas você não precisa colocar em seu título profissional que está “em busca de recolocação profissional” ou “buscando novos desafios” para ser encontrado pelos recrutadores – aliás, isso mais atrapalha do que ajuda.

O menu de “Vagas” do LinkedIn, tanto para quem está procurando emprego quanto para quem está anunciando uma vaga, é bastante útil e intuitivo. São diversos os filtros que podem te ajudar a encontrar o job perfeito.

Como encontrar trabalho remoto no LinkedIn

 Para encontrar trabalhos remotos e freelas, clique em “Interesses de carreira” dentro do menu “Vagas”. A tela abaixo aparecerá para você.

Como encontrar trabalho remoto no LinkedIn

Ative a opção de informar aos recrutadores o seu interesse por novas oportunidades – é por isso que falei que o título “em busca de recolocação profissional” atrapalha mais do que ajuda.

Feito isso, crie uma nota simples para os recrutadores com algumas palavras-chave sobre o seu trabalho. Você também deve especificar os tipos de cargo que tem interesse e, se for o caso, em qual(is) localidade(s) deseja trabalhar – o que não se aplica ao trabalho remoto.

Como encontrar trabalho remoto no LinkedIn

A última parte é marcar os campos “remoto” e “freelance” e definir o(s) setor(es) em que está procurando um trabalho.

Ainda no menu de “Vagas”, você pode criar alertas para oportunidades em determinada empresa ou localidade – caso esteja procurando por trabalho remoto, você pode pesquisar por vagas no mundo todo e receber alertas por e-mail.

trabalho-remoto-no-linkedin

Fazendo networking

Para quem quer viver de freela e trabalhar remotamente, seja em home office ou viajando o mundo, o networking é parte fundamental nesse processo.

Envie convites de conexão para seus ex-colegas de trabalho, ex-clientes de empresas onde trabalhou, ex-fornecedores, enfim, conecte-se com toda e qualquer pessoa que alguma vez tenha feito parte da sua vida profissional.

Ao contrário de outras redes onde muitas pessoas optam pela privacidade, o LinkedIn é um lugar onde ter um alto número de conexões ajuda – e muito.

Outra dica é procurar por pessoas influentes no seu setor e, além de seguir seus perfis, interagir em suas publicações. E por interagir não quero dizer comentar algo do tipo “Ótima publicação! Parabéns!“. Elabore comentários que colaborem com o texto do autor de alguma maneira. É uma ótima maneira de demonstrar seu conhecimento sobre determinado assunto e ser visto por aquele influenciador – e também por seus seguidores.

Produzindo conteúdo

Essa é a melhor maneira de ser visto no LinkedIn. A rede te dá duas opções de publicação: atualizações de status, semelhantes as do Facebook, ou a criação de artigos longos. Crie uma rotina de publicações semanais que envolva as duas coisas.

De vez em quando vejo algum relato sobre como a rede “não serve para conseguir emprego“, mas geralmente esse discurso é de alguém que não produz conteúdo por lá.

Já consegui diversas oportunidades e fechei outros tantos negócios através dos textos que escrevi no LinkedIn. E tudo remotamente…

Publicar conteúdos no LinkedIn significa construir um portfólio online sobre seus conhecimentos e habilidades. E isso vale muito mais do que um currículo bem preenchido – independente da plataforma.

Estamos falando de marketing de conteúdo. E se você precisar de ajuda com isso pode se inscrever no meu curso online de “Marketing Pessoal e Produção de Conteúdo no LinkedIn“, onde ensino todas as estratégias que utilizei até ser considerado pelo próprio LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016.


E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

trabalho remoto

Nômade digital que escreve, empreende e ensina. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Você também pode ler meus conteúdos no HuffPost, no Transformação Digital, na Comunidade Rock Content e no Medium.