Um freelancer, antes de tudo, é um empreendedor. Seus serviços são o seu negócio. E é justamente na hora de vender os seus serviços, ou seja, se vender como freelancer, que muitos profissionais pecam e, sem clientes, optam por retornar ao mercado de trabalho formal.

Trabalho por conta própria em tempo integral desde janeiro de 2017. Os primeiros meses foram tensos! De uma hora para outra você tem que definir uma rotina de trabalho, cuidar do seu marketing, prospectar possíveis clientes, gerenciar a parte financeira e, claro, produzir.

O que eu aprendi é que todas essas engrenagens só funcionarão em conjunto se você tiver os seus serviços bem definidos. Isso significa não se prostituir a cada pedido de orçamento que pintar! Tenha um posicionamento firme e aprenda a dizer “não” para demandas que, apesar de você, em tese, conseguir entregar, estejam fora do escopo das suas atividades.

Quando me lancei no mercado como freelancer, embora tenha definido que meu foco estava em atender demandas de marketing de conteúdo, eu me apresentava como “freelancer em marketing digital“. Com o tempo percebi que isso causava uma grande confusão para quem acessava meu site e consultava meus serviços. Minha ideia era facilitar o entendimento de quem me lia, afinal, nem todo mundo sabe o que é marketing de conteúdo, porém, eu estava me vendendo como um profissional generalista de marketing digital e recebendo apenas propostas como tal.

Como se posicionar no mercado do jeito certo

Pense que você é um profissional de marketing.

Um profissional de marketing pode fazer várias coisas, concorda? Desde trabalhar com o gerenciamento de redes sociais até criar conteúdos para blogs. Essa nomenclatura, porém, te faz soar generalista.

Esse profissional, na teoria, pode fazer qualquer coisa dentro da área de marketing. Se você é do tipo “faz tudo“, por exemplo, esse provavelmente é o melhor posicionamento para o seu negócio como freelancer. Caso contrário, repense sua estratégia! Talvez o melhor caminho seja se vender como especialista em determinada atividade. Apenas tome cuidado: quanto mais nichado o seu negócio for, menor será a sua audiência.

No meu caso, eu estava me vendendo de forma generalista como profissional de marketing digital. Através de uma espécie de “marketing de conteúdo pessoal”, consegui me posicionar na primeira página do Google com o termo “freelancer em marketing digital“. Isso parece ótimo, né? Só parece. Recebi diversas demandas, mas a grande maioria para serviços que não atendo, como gerenciar fanpages do Facebook, por exemplo. Tudo isso por soar de forma generalista. Meu posicionamento estava errado!

metheus-de-souza

O que fiz foi redesenhar a forma como me vendo. Embora o termo “freelancer em marketing digital” soe generalista, um “freelancer em marketing digital com foco em marketing de conteúdo” soa como um especialista em produção de conteúdo. Esse reposicionamento se mostrou bastante eficaz e as demandas por artigos finalmente começaram a aparecer.

E como saber que tipo de posicionamento é o certo para o meu negócio?

Testando! Decida o que vai oferecer, determine seu mercado-alvo, crie seu portfólio online, defina seu(s) preço(s) e se jogue no mercado!

*Texto publicado originalmente na minha coluna no blog da Rock Content.


E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui! freelancer

Nômade digital que escreve, empreende e ensina. Eleito pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016. Você também pode ler meus conteúdos no HuffPost, no Transformação Digital, na Comunidade Rock Content e no Medium.