Tudo na vida tem um lado bom e um lado ruim. Não existe perfeição e se alguém disser o contrário estará mentindo. Nós somos acostumados a receber mensagens de pessoas que gostariam de “ter nossa vida” ou que se iludem pensando que tudo é muito fácil ou que nossa vida é feita apenas de viagens.

Bom, ser nômade digital vai muito além de viajar. Ser nômade quer dizer sim, viajar, mas quer dizer que você viaja enquanto trabalha e que, muitas vezes, precisa fazer escolhas difíceis.

Enquanto escrevo este texto estamos trabalhando em um café em Roma, num dos quatro cafés em que trabalhamos enquanto a internet do nosso apartamento não estava funcionando (o que durou uma semana). Este é o tipo de coisa que nos faz perder horas de trabalho – e também dinheiro. 

Não, não me entenda mal, não estou reclamando! Eu sei o quanto inúmeras pessoas gostariam de estar “reclamando” do mesmo problema. Eu apenas quero mostrar que nem tudo é perfeito e que também existem dificuldades – para que você entenda no que está se metendo.

Estar longe

Ser nômade significa que você, muitas vezes, não estará “em casa”, ou seja, perto da sua família e amigos. Isso significa que você, muito provavelmente, irá perder eventos importantes.

Uma das coisas que mais me incomoda é perder as datas comemorativas como aniversários, reuniões de amigos, etc. Entretanto, sempre tento lembrar de que as datas são apenas um dia e que o que realmente importa é o tempo de qualidade que já passo com as pessoas que amo quando estou perto.

Este ano, por exemplo, vamos perder o aniversário dos meus pais e o primeiro aninho do meu sobrinho. 

Ser nômade digital significa que você terá que fazer escolhas e que você não poderá estar presente sempre. Significa estar com o coração dividido entre a alegria e a empolgação de conhecer um lugar novo com pessoas novas enquanto lida com a saudade e o peso de não estar presente em momentos importantes.

Dificuldade em estabelecer uma rotina

Foto: Unsplash.

Eu sei, você está cansado da rotina de ir para o trabalho e não aguenta mais. Precisa não ter rotina, você pensa. Mas, não é bem assim. Eu também pensava que odiava rotina e não precisava dela, mas a verdade é que pelo menos uma espécie de organização no seu dia faz toda a diferença para te tornar mais produtivo.

Quando você acorda e não sabe o que fazer, quando você tem que decidir se vai comer, se exercitar ou trabalhar primeiro, sua criatividade e produtividade vai se esvaindo. Você não sabe muito bem o que fazer e fica tão perdido que parece que jogou um dia no lixo.

Quando estamos em casa eu tenho uma rotina que funciona bem. Acordo, como, trabalho, faço o almoço e vou para a academia e depois volto para trabalhar mais. Isso funciona bem. 

Já durante as viagens, eu acho difícil estabelecer uma rotina e geralmente leva tempo para me adaptar. Quando estou me adaptando e estabelecendo uma rotina que funciona chega a hora de “me mudar” novamente.

Durante a primeira semana me sinto improdutiva e aérea, o que me deixa completamente frustrada porque parece que estou jogando as horas do meu dia fora. 

Problemas simples se tornam ‘problemões’

Mudar-se para um novo país significa que você estará, muitas vezes, no meio de pessoas que não conhece, que não falam seu idioma e onde os serviços funcionam de forma diferente. Isso faz com que os problemas, quando aparecem, se tornem algo muito maior do que seriam se estivesse em casa.

Em Roma estamos hospedados em um Airbnb durante um mês. O lugar parecia ótimo, porém, quando chegamos percebemos que a internet (que é nosso principal meio de trabalho) só conectava em um dispositivo por vez.

Se estivéssemos em Tubarão e o mesmo problema acontecesse eu sabia exatamente o que fazer. Ligaria para o fornecedor de internet – que fala minha língua – e, se ele não resolvesse, ligaria para o Neguinho (que é quem resolve nossos problemas com internet). Aqui, um pequeno problema virou uma bola de neve.

Nós precisamos entrar em contato com a nossa “host” para informar do problema. Levou dois dias para que ela fosse ao nosso apartamento para testar e confirmar que a internet não estava conectando em dois dispositivos simultaneamente. 

Ela, então, ligou para a companhia e a disseram que tentariam resolver e nos ligariam. Depois de três dias nos ligaram e não resolveram o problema. Quando pedi para mandarem um técnico, disseram que não ofereciam este serviço e, mais uma vez, estava lá sem saber o que fazer. No fim, o Matheus acabou resolvendo tudo sozinho.

É difícil separar trabalho e descanso

nômades-digitais
Foto: Unsplash.

Quando você está trabalhando em uma empresa é fácil separar o momento de trabalho e de descanso. Você vai pra lá, trabalha, “bate o ponto” quando sai e volta pra casa. Seu trabalho acabou.

Trabalhar “de casa” significa que, muitas vezes, você vai encontrar uma certa dificuldade para separar seu trabalho do descanso. Como seu instrumento de trabalho é o computador (ou o celular) e ele está ali disponível 24 horas por dia, é fácil se deixar levar e abrir o laptop para checar o e-mail ou as estatísticas daquele post que está bombando.

Hoje considero o Instagram mais como um trabalho do que diversão – apesar de ainda não ganhar dinheiro com ele. Mas, muitas vezes, ainda o trato como lazer. Então, há momentos em que estou “trabalhando”, respondendo comentários, mensagens e fazendo stories, etc., quando, em tese, era para estar me divertindo e descansando.

Às vezes isso é péssimo, às vezes isso ferra com a nossa vida pessoal, e é difícil encontrar um equilíbrio e “bater o ponto” quando seu trabalho está nas suas mãos.

Lidar com o dinheiro é difícil

Quando estamos viajando é difícil lidar com o dinheiro. As viagens ao exterior sempre exigem conversões, gastos imprevistos, passeios, entre outros fatores. 

Tudo isso sobe um degrau no nível de dificuldade quando você não sabe quanto e quando receberá seu próximo “salário”. 

Freelancers não tem salário. Seu dinheiro “do mês” não vai vir sempre no quinto dia útil e às vezes vai atrasar. Além disso, a quantia que você recebe vai depender dos “jobs” que vai conseguir, dos serviços que vai prestar, dos produtos que vai vender, o que varia muito.

Ou seja, o seu dinheiro é muito instável, o que significa que em alguns meses você terá muito e nos meses seguintes pode ter muito pouco. Então, lidar com o dinheiro torna-se uma tarefa difícil e você precisa planejar-se muito bem para manter-se no controle e não ficar sem dinheiro.

A nossa educação não é conhecida por ter uma boa fundação que ensine as pessoas a lidar com dinheiro, então você vai ter que se esforçar e pensar muito bem antes de gastar. 

Isso significa que você terá que passar muito tempo calculando e planejando, mais do que um trabalhador com a carteira assinada, o que pode ser desgastante, principalmente se você não lida bem com essa “incerteza” e “ansiedade” é seu segundo nome.

Todos acham que você não faz nada – e que está disponível o tempo todo

É verdade que nossos horários são flexíveis, mas nós precisamos ter hora para trabalhar. É comum que as pessoas – amigos e familiares – pensem que você não faz nada e que está disponível o tempo todo. É comum que todos pensem que você está vadiando o dia todo ou que seu trabalho é fácil só pelo fato de você estar fazendo isto de casa.

Muita gente não consegue entender que trabalhar de casa exige o mesmo nível de concentração – ou até mais – do que trabalhar em um escritório. Quando o apartamento do vizinho está em obras, quando o cachorro da casa ao lado late durante três horas seguidas ou quando seu filho insiste que quer brincar, é difícil se concentrar.

Apesar de trabalhar em casa, eu preciso me concentrar e às vezes as pessoas ao redor não entendem isto. Apesar dessa liberdade que temos, precisamos passar um certo tempo trabalhando ou nada vai funcionar, afinal somos nós que fazemos nosso trabalho funcionar, não uma empresa inteira. Se “faltarmos” no nosso trabalho ninguém o fará para nós, o que significa que não vamos ganhar dinheiro, simples assim. Então, cada dia que não trabalhamos é um dia que não ganhamos dinheiro.

Muita gente fala com você como se você não fizesse nada porque elas não entendem muito bem o que você faz – e às vezes é difícil de explicar.  E por não entenderem, pensam que você não faz nada mesmo.

Então, quando você diz que não vai poder sair porque precisa trabalhar, ou que precisa se retirar de um evento mais cedo ou simplesmente ir para um cômodo silencioso, muita gente não vai entender. Acostume-se.


E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

sobre-nomadismo-digital

Uma fotógrafa que ama fotografar (claro!), viajar, comer, beber, fazer compras, viajar, ler, usar roupas bonitas, ver o pôr do sol, viajar, descobrir coisas novas, decorar a casa, passar horas na Netflix, viajar e conversar sobre todos estes assuntos.