O que é um nômade digital? Entenda o que são, o que fazem e tire suas dúvidas

o que e nomade digital imagem 1

Se engana quem pensa que ser nômade digital ou trabalhar em home office é uma coisa nova. Um dos primeiros nômades digitais, Steve Roberts, trabalhava de diversos lugares do mundo já em 1983. Este estilo de vida, entretanto, só ganhou mais adeptos a partir da década de 2010, quando o acesso à internet começou a melhorar e se expandir ao redor do mundo.

Enquanto cada vez mais pessoas falam sobre este estilo de vida, ainda existe muita dúvida com relação ao tema. Afinal, o que é um nômade digital? O que eles fazem? É possível arrumar um emprego como nômade? Bom, é isso que você vai descobrir neste texto!

O que é um nômade digital?

Um nômade digital é um profissional que trabalha de forma remota – através da internet – e, por isto, pode trabalhar de qualquer lugar do mundo. O nômade, em geral, não tem residência fixa e sua jornada de trabalho é flexível.

o que e nomade digital imagem 1

O que faz um nômade digital?

Um nômade digital pode trabalhar com basicamente qualquer coisa que possa ser feita online. Você pode ser um psicoterapeuta, artista, educador físico, designer, arquiteto, empreendedor, redator, professor, analista financeiro, fotógrafo, entra tantas outras profissões. Você pode até mesmo ser um contratado em CLT e ser nômade digital. O único pré-requisito é que você possa trabalhar de forma remota.

Vale ressaltar que nomadismo digital não é uma profissão, e sim um estilo de vida que combina trabalho e viagens.

Como se tornar nômade?

O primeiro passo para se tornar um nômade digital é, de acordo com Matheus de Souza, autor de “Nômade Digital”, é a decisão. Saber se você “realmente quer se tornar um nômade digital, com todos os prós e contras desse estilo de vida e trabalho, ou apenas tem um fetiche adolescente de ‘largar tudo e viajar o mundo’?”

O segundo passo é o do planejamento. Segundo Matheus, é necessário não só calcular sua hora de trabalho, estimar custo de vida (passagens aéreas, hospedagens, alimentação, etc) como também ter uma boa reserva financeira antes de começar. Isto vai te servir como uma garantia caso as coisas não saiam como o planejado.

A terceira fase, por fim, é a da execução. Aqui, de acordo com Matheus é onde “todas as suas ações, desde leituras a conteúdos produzidos na web, devem estar ligadas ao seu objetivo de trabalhar de forma remota”. E o ideal é que você comece a executar ainda trabalhando em seu emprego atual – o que significa que no início talvez seja preciso sacririfar algumas horas de descanso para trabalhar rumo à sua meta.

Por último, é a hora de dar a cara a tapa, o que o autor de “Nômade Digital” chama de “peitaço”. É hora de largar seu emprego – ou buscar a oportunidade de trabalhar de forma remota no seu emprego atual – e começar a viajar enquanto trabalha remotamente.

Se você ainda está inseguro e quer se aprofundar mais no assunto, dá uma olhada neste post que reunímos com os melhores cursos para nômades digitais.

Quanto custa viver desta forma?

A vida de um nômade digital inclui custos que todos têm em suas vidas “normais”, como habitação, alimentação e entretenimento. Entretanto, também é necessário calcular outras despesas como viagens, deslocamento, e ter sempre um dinheiro extra para imprevistos que surgem em viagens.

Entretanto, independente de ser nômade digital no Brasil ou ao redor do mundo, o seu custo de vida como nômade vai variar muito. O custo varia de acordo com o país, estado ou cidade que você escolher, e pode ainda mudar muito considerando o bairro onde você escolhe viver.

Este valor também muda de pessoa para pessoa, já que depende do estilo de vida que você queira levar – se quer trabalhar de coworkings ou cafés, sair para comer em restaurantes com frequência ou até mesmo fazer tours ou se inscrever em uma academia.

Além disso, é importante considerar a variação do câmbio, o que pode deixar sua viagem muito mais barata ou cara, caso viaje para fora do Brasil.

Para te ajudar a entender o quanto custa viver como nômade digital, você pode usar sites como o Nomad List, que mostra o custo de vida médio nas cidades populares entre nômades digitais. Lá, você pode inclusive filtrar os destinos pelos mais baratos. Mas, não esqueça de incluir os custos com passagens aéreas e deslocamento dentro do país.

O que recomendamos é que você faça uma pesquisa em buscadores de passagens aéreas, em sites como Airbnb para ver o valor médio da acomodação, e depois pesquise o custo de vida no Nomad List ou no Numbeo (onde você tem acesso ao custo de vida – médio – por mês para viver em uma cidade).

Profissões para ser nômade digital

Como dissemos anteriormente, as melhore profissões para ser nômade digital são profissões que te permitam trabalhar de forma remota. Você não precisa, necessariamente, ser empreendedor ou freelancer para ser nômade. Algumas empresas brasileiras e estrangeiras oferecem contratos de trabalho em home office.

Portanto, foque em procurar trabalhos que te deem liberdade geográfica. E hoje em dia isso é possível mesmo nas profissões mais tradicionais. Existem advogados, terapeutas, contadores e até médicos trabalhando de forma remota.

Assim como em todas as profissões, pode ser difícil começar e encontrar seu lugar ao sol, especialmente se você está trabalhando de forma independente. Entretanto, se você fizer o trabalho da forma certa é possível construir sua autoridade e ganhar dinheiro de qualquer lugar do mundo.

Além de poder transformar profissões tradicionais em posições de trabalho remoto, também é possível começar a trabalhar com algo que seja mais simples de fazer de qualquer lugar. Existem profissões que fazem isto ser muito mais fácil. Alguns exemplos são:

  • Especialista em Marketing digital
  • Especialista em Marketing de conteúdo
  • Gerente de mídias sociais
  • Redator
  • Editor
  • Copywriter
  • Professores de cursos online (EAD)
  • Professor particular
  • Designer
  • Ilustrador
  • Desenvolvedores de tecnologia
  • Programadores
  • Desenvolvedor de aplicativos
  • Editor de vídeo
  • Editor de fotos
  • Videógrafo
  • Fotógrafo
  • Tradutor
  • E-commerce por dropshipping
  • Envio de e-mail
  • Produtor de conteúdo
  • Produtor de infoprodutos (e-books, cursos online, materiais digitais)
  • Investidor
  • Especialista em SEO
  • Especialista em tráfego orgânico
  • Especialista em tráfego pago
  • Especialista em Google Adwords
  • Influenciador
  • Blogueiro

As profissões acima são apenas algumas das oportunidades para trabalhar remotamente enquanto viaja o mundo. Entretanto, existem inúmeras outras profissões onde é possível ter flexibilidade geográfica.

Se você já tem uma habilidade que te dá dinheiro – ou tem o potencial de fazer isto – trabalhando de forma remota, recomendamos que aperfeiçoe-se nela. Por outro lado, se vai começar do zero, comece a estudar novas habilidades que te ajudem a encontrar trabalhos na sua nova área de atuação.

Existem diversos cursos online e livros com muita informação de qualidade para quem quer começar. Você só precisa pesquisar e começar a estudar e planejar.

É importante ressaltar que se você pensa em viajar para fora do Brasil, talvez seja interessante procurar por trabalhos que te possibilitem ganhar dinheiro em dólar. Assim, a conversão da moeda não vai ser um empecilho tão grande.

Vantagens e desvantagens de ser um nômade

Mas nem tudo são milhas e paisagens bonitas para se admirar e levar consigo a vida toda. Desde o começo deste artigo, você deve ter adquirido um conhecimento sobre esta vida nômade que tanto falam. Este texto foi produzido e pensado parar tirar o glamour deste universo, que, graças ao mundo da internet, se tornou sinônimo de status e requisitado por milhares de pessoas.

Para seguir esta mesma linha de tirar dúvidas da vida de nômade digital, dividimos em duas partes os prós e os contras dos nômades digitais.

Desvantagens

Não ter casa fixa: a maioria dos nômades digitais não tem um endereço fixo, o que quer dizer que você vai precisar se desfazer de quase tudo que tem e colocar toda sua vida dentro de uma mala ou mochila.

Não ter rotina: não ter rotina parece ótimo, mas pode ser um empecilho na hora de construir um negócio ou conseguir finalizar um trabalho ou outro. É preciso muito auto-conhecimento e determinação para não perder prazos ou ficar no vermelho.

Estar fora da sua zona de conforto: viajar e não ter nenhum conhecido pode transformar um pequeno problema em algo gigante. Estar fora da sua zona de conforto pode dificultar também a sua rotina de trabalho e qualidade de vida.

Dificuldade em gerir seu tempo: quando se está em um lugar novo, pode ser difícil gerir o tempo que passa conhecendo a nova cidade e o tempo que gasta trabalhando. Se você tem dificuldade em fazer a gestão do seu tempo e controlar seus impulsos, isso pode ser uma grande desvantagem.

Ansiedade: trabalhar de forma remota enquanto viaja pelo mundo, especialmente como empreendedor ou freelancer, pode gerar muita ansiedade. A instabilidade gerada pela mudança frequente de ambientes, amizades e incertezas financeiras pode ser difícil de aguentar.

Relacionamentos com data para terminar: conhecer novas pessoas é ótimo, mas o processo de conhecer novas pessoas e abandoná-las logo em seguida quando você parte para o próximo destino pode ser desgastante. Você conhece pessoas incríveis e tem relacionamentos intensos, mas o processo de despedida pode ser doloroso, além de ser desgastante ter que encontrar novos amigos num lugar novo o tempo todo.

Vantagens

Liberdade geográfica: ter que esperar o ano todo pelas férias para viajar é algo que não acontece com os nômades digitais. Por isso, é fácil conhecer várias cidades e até mesmo países em apenas um ano. Para os nômades, o sonho de conhecer todos os países do mundo não é algo tão distante.

Aprendizado com outras culturas: estar em contato com novas culturas e costumes nos dá uma perspectiva que raramente conseguiriamos sem deixar nossa casa ou nosso país. Percebemos como outras pessoas fazem as coisas diferentes e até mesmo descobrimos outras possibilidades de negócio ou de vida.

Produtividade: quando estamos ansiosos para sair e conhecer uma nova cidade, é fácil se concentrar e fazer muito em pouco tempo. A produtividade aumenta quando você tem uma ótima recompensa esperando do lado de fora.

Felicidade: o nomadismo digital não faz ninguém mais feliz, mas em geral nos dá um sentimento muito grande de liberdade e realização, porque sentimos que podemos fazer pausas no meio do dia e aproveitar a vida no nosso próprio ritmo – o que é praticamente a definição de felicidade por si só.

Flexibilidade: ter flexibilidade de horários, de não precisar dar satisfação para o chefe e simplesmente ir à praia ou encontrar um amigo para um café é uma das grandes vantagens do nomadismo. É claro que nem todos têm essa flexibilidade, mas existem inúmeros trabalhos remotos que te permitem fazer seus próprios horários.

Menos cobranças: em geral, uma das maiores frustrações dos trabalhadores é a cobrança dos chefes com relação ao seu trabalho, gestão de tempo e produtividade. Trabalhar como nômade geralmente te dá mais liberdade e flexibilidade, reduzindo as cobranças, especialmente se você trabalha como freelancer ou empreendedor.

[line]

Esperamos que você tenha tirado todas as dúvidas sobre o que é ser um nômade digital e como se tornar um.

E aí, esta vida é para você? Se for, mãos à obra. Não se esqueça de deixar um comentário ou enviar um e-mail me contado da sua decisão e seus pontos de vista!

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais artigos como este

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)

Precisa de ajuda?

Quer ser freelancer mas não sabe por onde começar? Nós te damos uma mão!