Viajar para vários locais e se manter focado nas tarefas é um desafio enorme. No meu caso, quando chego em uma cidade nova ou em algum coworking, sinto certa dificuldade de me adaptar para entregar meus serviços com a qualidade que eles demandam.

Para quem viaja entre países, o cenário é ainda mais desafiador. A rotina da jornalista americana Lindsay Tigar, que colabora com a revista Fast Company, por exemplo, pode incluir um coworking em Bogotá, na Colômbia, um espaço de trabalho em Chiang Mai, na Tailândia, e algumas horas de atividades em um jardim em Praga, na República Tcheca.

Lindsay tinha um trabalho em tempo integral em Nova York, mas decidiu comprar uma passagem só de ida para a Croácia e não parou de viajar. Assim, se desenvolveu como uma profissional freelancer e uma nômade digital.

nômades digitais gringos
Foto: Unsplash.

Além dos países citados, ela também já passou por Portugal, Argentina, Japão e muitos outros. Eu — ainda — não tenho o espírito aventureiro de Lindsay, embora esteja prestes a viver a minha primeira experiência fora do Brasil como nômade digital.

Apesar de não ter de enfrentar jet-legs e bruscas mudanças culturais, tenho problemas para me manter produtivo. Assim, sempre busco inspiração nos nômades digitais brasileiros, como o Matheus de Souza, mas também fico atento às coisas que os gringos andam fazendo.

Neste texto, reproduzo com minhas palavras um papo da Lindsay com 10 nômades digitais, que contam como eles permanecem focados no trabalho. Acompanhe a seguir!

1. Mantenha-se responsável quando não há um chefe por perto

Essa dica é da estilista e ilustradora Nicole Roberts, que está em Buenos Aires, na Argentina. Ela adora fazer listas e definir as prioridades para o dia seguinte. Para manter-se responsável, ela usa o Habitica, um jogo que ajuda as pessoas a melhorar os hábitos da vida real. Tratam-se de pequenos incentivos ou punições que a ensinam a fazer mais e melhor.

2. Seja estratégico com seu “sim” e confortável com seu “não”

De acordo com o engenheiro de software digital de nômades, Mark Meyer, que está há 3 anos na estrada, é essencial adotar uma estratégia em suas horas livres. Uma vez que seus rendimentos bancam suas viagens ao redor do mundo, ele fica à vontade dizendo não para algumas propostas. Ao mesmo tempo, ele diz sim para as aventuras que vive nos mais diversos locais, o que significa que o trabalho 24/7 não é uma opção. No fim de tudo, para ele, o que vale é o equilíbrio.

3. Seja consistente na sua inconsistência

Para as pessoas que tiram férias uma ou duas vezes por ano, a emoção de chegar em uma cidade significa um tempo sem ver e-mails e desfrutar de pontos turísticos e restaurantes que um determinado local oferece. No entanto, no caso dos nômades digitais, as prioridades são outras: é preciso checar se a internet é rápida, se há um bom espaço de coworking por perto, se o tempo da cidade é agradável, entre tantas outras questões.

Isso significa que, nas viagens constantes, nada é consistente. Dessa forma, é preciso construir algum tipo de normalidade para ter foco. De acordo com a psicóloga e palestrante organizacional Laura Gallaher, que atualmente está na Croácia, a saída está em buscar alguns itens essenciais sempre que se muda de lugar.

Quando chega a um novo local, ela medita, encontra um supermercado e um restaurante e busca entender como as coisas funcionam no ambiente em que está hospedada. Onde quer que ela esteja, essa é a sua rotina. Essa consistência é essencial para lidar com imprevisibilidades que podem afetar sua produtividade.

4. Use seus domingos

Para quem trabalha de forma independente, não existe um tempo designado para o trabalho. Logo, não existem dias úteis e, assim, a rotina acaba se tornando mais fluida. Segundo o comerciante de produtos Jonathan Moed, que viaja desde novembro do ano passado, adotar uma mentalidade de não desperdiçar um domingo se mostrou algo que lhe trouxe inúmeras vantagens.

5. Seja liderado pela inspiração

É muito provável que você tenha vivido alguns dias no escritório nos quais tudo parece ser muito difícil. Um e-mail, uma reunião ou algum telefonema — nada fácil. Para o estrategista de SEO Drew Butler, que está na estrada há 11 meses, é comum ter dias de bloqueios.

No entanto, quando as coisas fluem, Butler explica que é preciso aproveitar ao máximo. Por isso, não é raro que ele emende um trabalho no outro, às vezes por 12 horas por dia, especialmente quando se sente forte mental, emocional e fisicamente. Esses “sprints”, para ele, são ótimos para tirar uma folga no meio de um dia de semana.

6. Agende um tempo sozinho

nômades digitais
Foto: Unsplash.

Para alguns profissionais, os espaços de coworking são uma faca de dois gumes para manter a produtividade. Ao mesmo tempo que ver as pessoas trabalhando é motivador, quando elas tiram os fones e conversam isso pode atrapalhar seu ritmo. Para Jessica Tatham, fundadora de uma empresa de desenvolvimento web para mulheres empreendedoras, que está viajando há 11 meses, o ideal é programar blocos de trabalho.

Ela é introvertida e precisa de um tempo sozinha para processar e realizar seu trabalho. Assim, quando precisa dar atenção total para os seus clientes, trabalha em casa em vez de ir a um espaço de coworking. Isso assegura que seu trabalho seja concluído da melhor forma possível e faz com que passe mais tempo, por exemplo, fazendo um tour de gastronomia e encontrando com outros nômades digitais.

7. Tente combinar os horários com seus clientes e parceiros, mas estabeleça alguns parâmetros

Se você mora na Ásia e a maioria dos seus clientes estão nos Estados Unidos, por exemplo, pode ser que tenha alguns problemas de horários. Embora não seja uma rotina fácil de ajustar, a coordenadora de marketing e pesquisa Hilary Welter diz que ficar online a mantém coerente com as suas entregas.

Como está na estrada há dois anos, diz que dominou a arte de sobrepor as horas. Dessa forma, ela trabalha no mesmo fuso horário que a sede do escritório para o qual presta serviços. Isso facilita as coisas para todos quando se trata de comunicação e prazos.

8. Reserve um tempo para trabalhar offline

Talvez seja interessante fazer uma auditoria no seu navegador e no seu histórico de internet. Afinal, quanto tempo, por exemplo, você passou no Facebook? Onde há internet, há distrações e é por isso que a designer interativa Claudia Monroy agenda um tempo offline para ter concentração.

Como está há um ano e meio como nômade digital, os tempos offline evitam que ela acesse e-mail e redes sociais. Segundo ela, isso parece óbvio, mas é algo totalmente eficaz que a ajuda a se manter concentrada e produtiva.

9. Tire dias de folga

Apesar de nem todo trabalho como nômade digital permitir folgas, é interessante buscá-las. Segundo o fotógrafo freelancer Sean Marier, tirar uns dias de descanso é essencial para ter concentração e voltar ao trabalho revigorado.

Ele, que está na estrada há 6 meses, diz que se programa ao menos por um dia na semana para não tocar na câmera, em edição de fotos e até mesmo no feed no Instagram. Isso lhe permite evitar o cansaço e voltar recarregado.

10. Fique ativo

Quando você é um nômade digital está sempre trabalhando, realmente fica mais complicado praticar algum tipo de atividade física. Se manter ativo, no entanto, é essencial para você ter um melhor desempenho mental e físico.

Para o gerente sênior global de desenvolvimento de liderança, Anne-Madeline Kleinwachter, com 11 meses de viagens, o exercício físico é subestimado às vezes. Mas, pela sua experiência, ele desempenha um grande papel na manutenção da saúde física e mental. Por isso, ele sempre encaixa na sua agenda aulas de ioga e ginástica ao ar livre, com muita música.

O que achou dessas estratégias? Fazem sentido e podem ajudá-lo? Deixe um comentário me contando?

*Texto publicado originalmente por Renato Ribeiro no blog renatoribeiro.me.


E aí, curtiu as dicas do Renato? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

NÔMADES DIGITAIS GRINGOS

Nômade Digital, produtor de conteúdo na web, consultor e palestrante. Graduado em Jornalismo, com MBA em Marketing e Pós-Graduação em Gestão de Negócios. Tem 15 anos de experiência no mercado de comunicação e marketing.