Não sei bem dizer se adotei o estilo de vida minimalista por ser nômade ou vice-versa. É tipo tentar pensar o que veio primeiro: o ovo ou a galinha. Mas hoje percebo que, sem dúvidas, trata-se de um casamento perfeito.

O nomadismo exige o exercício do desapego. E não precisa ser nem só pra viajar longe. Experimente pegar um ônibus da sua cidade até a praia com duas malas gigantes + notebook + travesseiro. Sozinho(a).

Mas aqui não me refiro também só ao perrengue de tentar viver viajando ou trabalhando em lugares diferentes com muita bagagem. Minimalismo e nomadismo se complementam porque suas filosofias conversam em inúmeros aspectos. 

Para explicar melhor, antes vale a pena aprofundar um pouco mais na questão do…

Minimalismo como estilo de vida: como definir? 

Ser minimalista não significa (necessariamente) vender todas as suas coisas. Significa apenas que tudo que você POSSUIR terá um propósito existencial. Uma razão de ser. Significado.

Se você começar a olhar para tudo o que possui com essa visão analítica vai perceber que, na maioria das vezes, muitas das coisas que você tem são desprovidas de SENTIDO. Basicamente, você nem sabe porque as têm…

E aí, já vou alertar: quando você começar a refletir sobre isso, não tem volta. É crise existencial na certa.

“Por que eu trabalho para pagar tudo isso? Será que vale a pena? Como eu venho comprometendo minha saúde mental por causa desse materialismo todo? E se eu vendesse todas as minhas coisas? E pudesse criar meus próprios horários de trabalho?”

Depois de uma leve surtada, você vai perceber que essa crise é, na verdade, boa. Você está indo na contramão de tudo o que prega a sociedade de consumo na era PÓS-ESCASSEZ. 

Você descobriu, efetivamente, que não precisa de muitas COISAS para viver uma boa vida. Pelo contrário, quanto menos coisas você tem, menos tempo, energia e capital você despende para mantê-las. 

É tipo… libertador. 

No fundo, é essa percepção que te EMPODERA a sair daquele emprego mais ou menos por causa da CLT. A tentar a vida nômade, trabalhar como freelancer ou criar o próprio negócio. 

Basicamente, você entendeu que tudo que possui e está acima do básico (comida, água, necessidades fisiológicas) é simplesmente uma ferramenta de satisfação do ego. 

Com esse mindset, encarar o desconhecido de uma vida nômade fica mais leve. O minimalismo te dá a coragem que faltava para ressignificar seu trabalho e sua existência no mundo.

Minimalismo e Nomadismo, um caso de amor

Depois de toda essa jornada interna, geralmente você se depara com uma outra verdade:

Mesmo vendendo todos os seus bens, é difícil que isso te sustente por toda uma vida, certo? Então, é preciso achar outras formas de viver e bancar seus custos de vida – mesmo na estrada. 

E aí vêm as inseguranças: será vou receber meus pagamentos na data certa? Consigo conciliar a estrada com os jobs? 

É justamente por isso que o minimalismo é o par perfeito do Nomadismo. Se você sabe que não terá gastos exorbitantes com carro, gasolina, contas de luz, água, telefone, roupas e móveis, sua mente se tranquiliza mais rapidamente. 

É mais fácil CRIAR e MANTER uma reserva de emergência. 

Pra finalizar, não creio que todo nômade digital precise ser minimalista. Conheço gente que viaja muito, mas tem um armário beeeem repleto de roupas e casinha grande e confortável quando volta. E tudo bem.

Mas ser nômade e minimalista é, na minha visão, a forma mais equilibrada de viver.

Enquanto o minimalismo traz mais liberdade financeira e espiritual, o nomadismo possibilita usar tudo o que você não gastou com coisas para criar experiências.

Isso é realmente VIVER – e não apenas SOBREVIVER. 

Se você se identificou com esse texto e está buscando ferramentas para trabalhar com internet, gostaria de aproveitar para divulgar um curso que me ajudou MUITO a realizar o sonho da vida nômade:

O CRIADORES de CONTEÚDO, da fera Rejane Toigo, especialista em Neuromarketing que ensina uma metodologia incrível de produção de conteúdo para internet.

Hoje, tudo que aprendi com ela me possibilita viver a vida que sempre sonhei: viver, viajar e ganhar a vida produzindo conteúdo para profissionais que admiro muito. 

Deixo como dica, esperando que possa fazer a diferença na sua vida também.


E aí, curtiu as dicas da Rafa?

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

Minimalismo como estilo de vida: o par perfeito do nômade digital

Sou apaixonada pelas palavras como ferramenta de comunicação, instrução e trabalho. Jornalista por formação e viciada nesse mundinho louco de internet - que hoje é meu verdadeiro escritório.