Storytelling digital: o que é, quais os benefícios e como aplicar no seu negócio

storytelling digital imagem 1

A arte de contar histórias encanta pessoas de todas as idades desde que o mundo é mundo e não é à toa.

Por isso negócios hoje estão percebendo a importância do storytelling digital para se conectar com o público e impulsionar o crescimento de empresas de todos os portes.

Confira no artigo de hoje o significado do termo, suas vantagens e as aplicabilidades na estratégia de marketing:

O que é storytelling digital?

O termo “storytelling” se refere ao ato de contar histórias, pautando-se em ferramentas que tornem a ação interessante e atraente.

Pode-se utilizar formatos como texto, áudio, imagem e vídeo, afinal o storytelling é empregado em diferentes segmentos da arte como o cinema, a literatura e o teatro. Se parar para perceber, o mundo é movido por histórias.

Quando se trata do storytelling digital, geralmente este conceito é utilizado como uma estratégia de marketing de conteúdo. São inúmeros os benefícios: fortalecimento da marca, construção de autoridade sobre determinado assunto e expansão de público.

O storytelling digital busca tocar e comover as pessoas, causar ações e reações relevantes para a empresa. Para ser eficiente, precisa ser autêntico e realista, utilizar-se de elementos que se conectem com os leitores e despertar emoções.

A postagem pode terminar com a resolução da história ou até mesmo impulsionar uma discussão, terminando com uma pergunta ou pesquisa de opinião. Incitar respostas é incitar engajamento, o que é primordial quando estamos falando sobre estratégias de marketing digital.

Como criar um bom storytelling?

1. Mantenha um banco de ideias

A criatividade é resultado de prática, então anote ideias quando elas surgirem. Nem todas serão boas para serem usadas, mas muitas delas podem ser lapidadas e trazerem bons resultados.

Você pode fazer um brainstorming considerando diferentes temas de acordo com a sua estratégia de conteúdo. Um bom site para ajudar com isto é o MindMeister, que possibilita a criação de mapas mentais.

2. Analise a relevância

Mais do que se perguntar “o que” quer contar, pergunte-se “por que” quer contar. É o primeiro passo para identificar “se” e “como” a história é relevante. É preciso que acredite na história, que você se sinta atraído para lê-la, se não quem mais se sentirá?

Você pode:

      • Contar uma história que explique o uso de seu produto ou a aplicação prática de um serviço que oferece;
      • Construir uma narrativa com base em alguma referência cultural ou assunto de grande destaque (por exemplo, hoje as pessoas usam alguma fala ou ação de participantes do BBB para dissertar sobre a realidade);
      • Usar narrativas para divulgar as características e personalidade da marca.

3. Planeje

Defina o objetivo da história: informar, entreter, expor, educar? Quais os recursos vai usar para montar o storytelling? Qual ação deseja que o público tenha: compartilhar, comentar, contratar um serviço?

Em quais canais vai publicar a história? Quais serão os principais elementos visuais? Qual será o formato: texto, vídeo, áudio, gráfico? Monte a estrutura de acordo com o formato, pensando no tempo de leitura, de vídeo ou interpretação pelo público.

4. Escreva (ou narre, grave, desenhe…)

Desenvolva a história com naturalidade e autenticidade. Capte a atenção do público já na primeira frase (uma boa dica é começar com uma pergunta ou expondo uma curiosidade). Outra opção é contar a história como se confidenciasse um segredo.

Com tantas informações ao nosso redor, torna-se cada vez mais difícil conseguir reter a atenção das pessoas. Por isso seja objetivo, mas cativante, utilize-se de diferentes recursos se for necessário.

Dica de livro: The Best Story Wins por Matthew Luhn

O autor Matthew Luhn trabalhou na Pixar por 20 anos, atuando em todas as produções desde a época de Toy Story 2.

Nesta obra, ele compartilha táticas valiosas de storytelling para negócios com base no modelo de narrativa que dá (muito) certo em Hollywood.

Quais são os principais recursos do storytelling?

Na hora de construir o storytelling digital, você pode utilizar alguns recursos para potencializar a qualidade e a atratividade.

1. Jornada do Herói

Uma das fórmulas de sucesso mais famosas é a Jornada do Herói, um conceito muito estudado por Joseph Campbell desde a publicação de seu livro O Herói de Mil Faces.

De maneira resumida, na jornada do herói o protagonista é apresentado na narrativa em uma vida comum, recebe o chamado para uma aventura, passa por outras etapas como a recusa do chamado, a orientação por um mentor, os primeiros desafios, o ápice da jornada e a recompensa até chegar à ressurreição do herói.

Ainda que este formato não caiba completamente quando falamos sobre storytelling digital, é possível utilizar alguns elementos dele na sua estratégia. É usado em muitas histórias por uma razão, afinal.

2. Modelo Pixar

As animações Pixar que fazem tanto sucesso seguem uma receitinha na hora de contar histórias. São exemplos de produções Toy Story, Soul, Coco, Luca, Divertidamente e Procurando Nemo.

As etapas que o modelo Pixar segue são:

      • Apresentação: introdução ao cenário geral da narrativa em sua normalidade até o surgimento do conflito principal;
      • Jornada: uma série de acontecimentos que mostram os desafios enfrentados pelo protagonista e sua transformação/amadurecimento;
      • Mudança: após a resolução do conflito, vemos o protagonista vivendo a sua nova vida e compreendemos a mensagem que é o “lema principal”.

3. Arquétipos de personalidade

Existem 12 arquétipos de personalidade, definidos por pesquisadores e estudiosos com base em conceitos de Carl Jung, que podem ser utilizados de maneira eficiente como ferramenta de comunicação de uma marca.

O arquétipo que vai divulgar precisa ser condizente com a realidade da sua empresa ou a sua própria rotina. Os arquétipos são:

      • Criador;
      • Explorador;
      • Governante;
      • Sábio ou guia;
      • Inocente;
      • Amante;
      • Prestativo;
      • Cara comum;
      • Herói;
      • Mágico;
      • Fora da lei;
      • Bobo da corte.

Dica de livro: O herói e o o fora da lei

Este é definitivamente o melhor livro para quem quer construir uma marca humanizada e um storytelling sólido.

Com base nos arquétipos de Carl Jung e na psicologia humana, as autoras mostram como nos conectamos com marcas que apresentam as características dos arquétipos e trazem exemplos práticos de marcas para cada um deles.

Como usar o storytelling na sua estratégia de marketing?

Por fim, é preciso entender como utilizar na prática o storytelling digital na sua estratégia de marketing. É uma ferramenta ideal para compartilhar ideais, expor os valores da marca, conectar-se com o público e construir um relacionamento.

Definir a estrutura de um bom storytelling está relacionado à identificação e compreensão da sua persona e o que a comove. Também é preciso perceber quais canais ela mais utiliza, a qual tipo de linguagem/vocabulário ela responde e as técnicas de copywriting específicas que captam a sua atenção.

O enredo precisa abordar as necessidades e desafios da sua persona, o tipo de história na qual ela possa se reconhecer e com a qual interagir. E melhor ainda, compartilhar ou indicar para outras pessoas.

Na prática, você pode utilizar o storytelling digital na:

      • Produção de conteúdo, adequando formatos e tom de voz;
      • Hora de dar palestras, mentorias e consultorias, usando a técnica para prender e marcar a(s) pessoa(s) que te ouve(m)/assiste(m);
      • Para fechar uma venda, aproveitando o tempo curto para impulsionar a decisão por meio da história.

Continue lendo sobre dicas para construir um forte branding digital.

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais artigos como este

Inscreva-se na nossa newsletter

Pode ficar tranquilo, não mandamos spam nem vendemos seu e-mail! Sua segurança está garantida com a gente :)

Precisa de ajuda?

Quer ser freelancer mas não sabe por onde começar? Nós te damos uma mão!