Tenho recebido contato de gente interessada em se tornar freelancer e nômade digital e digo que não é só o país que caminha para essa realidade. Trata-se de uma tendência mundial. Esses dias, por exemplo, saiu uma matéria na Forbes com a chamada “The Next Hot Mercado: Freelancers” (“O próximo mercado quente: Freelancers”, em tradução livre).

Entre as mensagens que recebo, destaco uma passagem de uma das mais recentes: “(…) tive que admitir que nada no Direito me fazia feliz e tive também que desconstruir tudo o que havia pensado para o meu futuro. Eu vi que você é nômade digital e gostaria de saber o que é e qual o seu conselho”.

O nômade digital é um profissional que trabalha de qualquer lugar, desde que esteja conectado à internet e eu escrevi um texto sobre o assunto. Para todos que queiram ingressar nesse mercado, a minha sugestão é começar como freelancer. Afinal, é seguro, não há grandes investimentos e é possível conciliar com o trabalho tradicional.

Para ajudar as pessoas que querem seguir nessa área, preparei um texto com 5 dicas práticas para você se tornar um freelancer profissional de sucesso ainda em 2018. Acompanhe!

1. Mostre seu trabalho ao mundo

freelancer profissional
Foto: Renato Ribeiro por Leo Coelho.

Eu cometi um erro terrível. Faz pouquíssimo tempo — com exceção dos meus colegas de trabalho diretos — que percebi que não mais que 5 pessoas sabiam exatamente o que eu fazia. Então, fiz um post simples nas redes sociais (no Facebook, no Instagram, no Twitter e no LinkedIn) e alcancei ao menos 5 mil pessoas de forma orgânica. Em seguida, comecei a postar artigos e vídeos de forma consistente no blog e no YouTube.

Para ser um freela de sucesso, o mundo precisa saber o que você faz. Para isso, é preciso ter um portfólio e montar uma vitrine online. Como sou um produtor de conteúdo, minha vitrine são os textos como este que você está lendo. Se você é um designer, apresente suas campanhas. Caso seja um cozinheiro, crie um canal no YouTube ensinando receitas. Se é um historiador, produza um e-book sobre os principais fatos históricos do país.

Você entendeu, né? Não há limites, independentemente da sua área. Com certeza, existem pessoas ansiosas para aprender as habilidades que você domina. Além disso, lembre-se de que você precisa se vestir para o trabalho que você quer, não para aquele que você tem. Mostrar conhecimentos que você pretende transformar em produtos e serviços atrai pessoas e clientes em potencial. Se você não se mostrar ao mundo, ninguém fará isso por você.

Se você não se mostrar ao mundo, ninguém fará isso por você.

2. Concentre-se no agora

Tem uma frase do filósofo Mario Sérgio Cortella que adoro: “Faça o teu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores para fazer melhor ainda”. Muita gente se frustra porque estabelece uma meta absurda e impossível de alcançar. As coisas não acontecem da noite para o dia. Eu sei que é chato para uma pessoa com anos de experiência de mercado e ter que praticamente começar do zero.

Mas, caso você esteja disposto a transformar sua carreira para se tornar um freelancer profissional de sucesso, é preciso ter consciência que todo começar é difícil e devagar. Os jobs e a grana podem demorar a se concretizar. Por isso, é muito importante que você faça um planejamento — principalmente, financeiro. Nesse sentido, observe seus pés para não tropeçar enquanto vislumbra seu objetivo final.

Se você sabe aonde quer chegar, é ótimo. No entanto, é preciso se concentrar no que você pode fazer agora para chegar lá. Se você está início, por exemplo, não se compare com quem está mais avançado. Veja meu caso: é impossível estar no mesmo nível que um Matheus de Souza da vida, que já está na estrada dos freelas e do nomadismo digital há muito mais tempo do que eu. Em vez de invejá-lo, me inspiro e aproveito para fazer um benchmarking porque não sou bobo, não é verdade?

Portanto, se você quer uma base de clientes confiável e um produto que complemente sua renda, o que tem feito para que isso se concretize? Faça uma lista de atividades diárias para concluir ao longo do dia. Progresso é progresso e ele é conquistado no dia a dia. Nunca se esqueça de que uma caminhada de 200 milhas começa com o primeiro passo.

Se você está início, não se compare com quem está mais avançado.

3. Trabalhe para encantar seus clientes

Esqueça esse papo de satisfazer o cliente. Na era do consumidor digital e da concorrência acirrada, a bola da vez é encantar e surpreender as pessoas que consomem seus serviços. Além disso, vale lembrar que um trabalho que você realiza acaba refletindo em outro. É preciso entender que as avaliações dos seus jobs são essenciais e servem como um termômetro em relação àquilo que está entregando.

Caso seja bem avaliado, você vai ganhando visibilidade e os próprios clientes passam a te recomendar. Além disso, não pense que o trabalho termina depois que o pagamento é efetivado. É sempre legal praticar o pós-venda e perguntar ao cliente se a estratégia que ele adorou está caminhando bem e se você pode fazer algo a mais para ajudar. Mostrar-se disponível é uma ótima ideia para se estabelecer como um freela diferenciado.

A bola da vez é encantar as pessoas que consomem seus serviços.

4. Conheça seus números

Eu confesso que preciso melhorar nesse ponto. Sou de humanas, então sempre tive receio de lidar com números. Mas, atuando no universo freelancer, não tem como fugir. Como trabalho com foco em execuções de alto nível, preciso entender e avaliar os números em torno de todo trabalho. Não é porque posso trabalhar em casa de pijama que não devo me enxergar como um empreendedor — e todo dono de uma boa empresa precisa saber sobre seus números.

Nesse sentido, é essencial ter atenção a questões como:

  • Receita de negócios (qual sua meta de faturamento diária ou mensal?);
  • Tráfego de blogs, sites e redes sociais (de onde as pessoas vêm? Qual seu conteúdo mais popular? Por que ele deu certo?);
  • Integre taxas de conversão com a interatividade do conteúdo (quais CTAs — Call to actions — estão funcionando? Quais páginas não recebem visualizações e precisam ser removidas?);
  • Quanto tempo você gasta para fazer determinado trabalho (quanto tempo você estima e quanto vale sua hora?).

Conhecer números como esses será essencial para você se conscientizar em relação às áreas que estão funcionando e quais precisam melhorar. Veja um exemplo:

  1. Cheque sua renda mensal;
  2. Descubra de onde vem sua receita (clientes, projetos, renda passiva etc) e concentre-se nas áreas que geram mais resultados;
  3. Se você ganha 1.000 reais por mês vendendo camisetas em um e-commerce, por exemplo, considere produzir mais itens para vender;
  4. Veja de onde vem sua maior parte do tráfego e confira qual conteúdo que atrai mais potenciais consumidores. Repita a fórmula de sucesso.

Todo dono de uma boa empresa precisa saber sobre seus números.

5. Comece de fato

“Olha, Renato, é legal tudo que você falou, mas muitas ideias são para quem já faz freela. E eu, que não dei o primeiro passo e estou mais perdido do que cego em tiroteio?”. Se você se identificou com essa questão hipotética, vou respondê-lo de forma simples. É possível começar facilmente de duas formas: ou conseguindo um primeiro cliente ou se cadastrando em alguma plataforma freela.

Caso opte por conquistar um cliente, uma excelente forma é consultar os amigos e a família. Sempre tem alguém precisando de um site, uma arte ou um texto — ou seja lá o que você tem para oferecer. Nesse caso, você pode cobrar um valor mais baixo e, assim, já começa a montar seu portfólio e sua vitrine online. Ao mesmo tempo, crie um blog e alimente suas redes sociais — como disse na primeira dica, o mundo precisa saber o que você faz.

Em relação às plataformas freelancers no país, você pode fazer um cadastro — geralmente, gratuito — e começar a receber ofertas de jobs. Algumas páginas cobram uma porcentagem pelos serviços que você realizará, outras não. Entre as possibilidades, recomendo a Rock Content (caso você tenha habilidades de redação, revisão ou diagramação), mas também tem 99 freelas, Workana, Crowd, Fiverr, Upwork, Contentools, Meu Redator, We do logos, entre outras.

Comece com um primeiro cliente ou se cadastre em plataformas freelancer

Conclusão

Espero que, com essas dicas, você possa se tornar um freelancer profissional de sucesso. Claro que você pode — e deve — adaptá-las de acordo com os seus objetivos, mas, caso você me mande um direct ou marque um café, eu provavelmente daria essas ideias para você. Desde que as coloquei em prática, a minha vida como freela e nômade digital começou a deslanchar.

Você curtiu essas ideias? Se quiser receber mais conteúdos sobre freelancer, nodadismo digital e marketing de conteúdo, assine minha newsletter.

*Texto publicado originalmente por Renato Ribeiro no blog renatoribeiro.me.


E aí, curtiu as dicas do Renato? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!
FREELANCER-PROFISSIONAL

Nômade Digital, produtor de conteúdo na web, consultor e palestrante. Graduado em Jornalismo, com MBA em Marketing e Pós-Graduação em Gestão de Negócios. Tem 15 anos de experiência no mercado de comunicação e marketing.