O México foi uma das nossas maiores surpresas em 2017. A viagem foi marcada em cima da hora, mas, além disso, não esperávamos que amaríamos tanto o país.

Em outubro estivemos na terra da tequila por quinze dias, sendo cinco deles na Cidade do México e os outros dez em Tulum. Nos apaixonamos pela cultura mexicana e até já escrevi sobre isso no meu blog pessoal.

O fato é que amamos tanto Tulum que já planejamos voltar, dessa vez para ficar um pouco mais na cidade e, quem sabe, melhorar um pouco nosso espanhol.

Bom, chega de enrolação e vamos para as dicas sobre Tulum!

Dicas de Viagem: Tulum

Moeda: Peso mexicano

Eletricidade: 110 volts

Tomadas: Tipos A e B, ou seja, dois pinos achatados ou dois pinos achatados e um redondo.

Visto: Brasileiros não precisam de visto para turismo e podem permanecer no país por até 90 dias.

Documentos necessários para entrada no país: Passaporte com no mínimo 6 meses de validade. (Dica extra: fique atento aos países nos quais vai fazer escala. Eles podem exigir tanto visto quanto algum outro tipo de certificado).

Idioma: Espanhol

Celebrações e festivais: O “Dia de los Muertos” é uma das principais celebrações mexicanas. A caveira mexicana está presente em tudo e é um dos maiores souvenirs. As celebrações iniciam em 31 de outubro e vão até a data principal, que é 2 de novembro.

Planejando sua viagem para Tulum

Qual é a melhor época para ir?

A temperatura em Tulum é sempre alta, sendo que nos meses mais quentes (julho e agosto) a média fica em torno de 28º, enquanto nos meses mais frios (como janeiro e fevereiro) gira em torno de 24º.

Como o México está localizado no hemisfério norte, a estação sempre será o inverso daqui. Portanto, verão aqui, inverno lá.

A pior época para ir é de junho a outubro, que é a temporada de chuvas (e chove mesmo) e de furacões. Fomos em outubro e houve uma tempestade tropical próxima à Tulum (e por conta disso tivemos que modificar nossos planos), portanto, se puder evitar esta época, evite.

De novembro até março é quando há mais turistas por lá, sendo que novembro e dezembro são os melhores meses e é quando a alta temporada ainda não está no seu auge, então, tente ir durante este período.

Como chegar lá?

Não há como chegar em Tulum de avião, já que a cidade não possui aeroporto. O mais comum é ir até Cancún e já no aeroporto ir até o guichê da ADO bus e comprar sua passagem até a cidade. O guichê fica próximo das esteiras para retirar as bagagens.

Há diversos horários disponíveis e o ônibus é novo, seguro e ainda possui Wi-Fi na maior parte do caminho. O ônibus faz parada em Playa del Carmen, mas lá você segue nele e vai até Tulum no mesmo ônibus. A passagem de ida custa cerca de R$ 42,00.

Quanto custa viajar para Tulum?

Viajar para a Riviera Maya não é lá muito barato, mas também está longe de ser um destino caro. O que ajuda a baratear os custos é o valor da alimentação e o fato de que não há muitos passeios caros para se fazer. As principais atrações da cidade são grátis ou muito baratas.

Em breve nós teremos um post mais detalhado com os custos por pessoa para uma viagem para Tulum. Por enquanto, segue um resumo das principais despesas.

Acomodação (valor médio da diária para um casal)

Básico: R$ 130,00

Mediano: R$ 300,00

Luxo: R$ 2.500,00

Alimentação (valor médio por pessoa)

Restaurante barato: R$ 10,00

Restaurante simples: R$ 25,00

Restaurante caro: R$ 80,00

Transporte

Taxis: uma corrida do centro até a praia (num trecho de cerca de 6km) custa em torno de R$ 10,00.

Colectivos (vans de transporte de passageiros): custam cerca de R$ 4,00 por pessoa para um trecho de 6 km.

Bicicletas: um dia de aluguel custa cerca de R$ 16,00, entretanto, há hotéis que oferecem bikes de graça para os hóspedes.

Que tipo de roupa levar para Tulum

Tulum tem um clima quente durante todo o ano, portanto, leve roupas leves e frescas. Não esqueça de levar roupa de banho, claro. Caso vá na época de chuvas, leve um casaquinho leve caso sinta frio para sair durante a noite.

PS: Nós levamos, mas nunca usamos.

Melhores coisas para fazer em Tulum

Apesar de pequena, há muito o que se fazer em Tulum e seus arredores. Por isso, reunimos os principais pontos para se visitar na cidade e no seu entorno.

Descubra as ruínas Maya de Tulum

O México é um país muito rico culturalmente e o passado da civilização Maya é importantíssimo para a história do país.

Em Tulum, de frente para o mar, você encontra um desses sítios arqueológicos. É possível entender um pouco mais da história Maya e ainda ter uma vista linda da praia cheia de rochas próximo de onde a pequena cidade foi construída.

Veja as ruínas de um outro ângulo – e o fundo do mar

Tulum

Um passeio que os locais recomendam, mas que os guias não incluem, é o passeio de lancha (barco) no mar próximo às ruínas.

De lá você tem uma vista linda e diferente das ruínas Maya. Só recomendamos que leve uma bolsa impermeável, porque molha muito já que o barco é pequeno e anda muito rápido.

Depois de parar próximo das ruínas para vê-las, o barco vai até uma área onde você pode colocar o snorkel e mergulhar naquela água limpinha entre peixes e tartarugas. Uma experiência inesquecível.

Os barcos saem da praia de Santa Fé e você deve fechar o passeio com eles na beira da praia mesmo.

Visite cenotes

Os cenotes são uma coisa de outro mundo. A cor da água e a sua transparência simplesmente parecem não existir. Tulum é uma região onde há inúmeros cenotes, que podem ser abertos, como uma piscina, ou meio que uma caverna, tendo que passar por uma espécie de buraco para chegar até lá. Se puder, vá ao Gran Cenote, ao Dos Ojos e Ik Kil.

Conheça as ruínas de Chichen Itza

Vá até Chitzen Itza e explore o complexo de ruínas Mayas (este, bem maior do que o de Tulum).

Lá é possível ver uma linda pirâmide em ótimo estado de conservação.

Aproveite as praias

Praia Tulum

As praias de Tulum são lindas, de água azulzinha e areia branca. Em sua maioria elas são privadas (onde estão a maioria dos hotéis), mas você pode sentar-se nas cadeiras dos restaurantes (se consumir algo) ou simplesmente estender sua toalha na areia e passar o dia.

Há também as praias de Santa Fé (onde saem os barcos) e Parayso na parte “pública” – que são igualmente lindas e possuem algumas boas opções de restaurantes.

Faça uma aula de yoga

Yoga é uma atividade muito popular em Tulum. Muita gente vai até lá para relaxar, diminuir o ritmo e praticar um estilo de vida mais saudável, portanto, a prática é muito comum por lá.

Alguns hotéis incluem aulas de yoga no preço da diária, enquanto outros permitem que pessoas que não estão hospedadas façam parte da aula pagando por ela.

Delicie-se com a autêntica comida mexicana ­– e com os drinks e paletas

A culinária mexicana é uma das coisas que mais amo sobre o México. É claro que se alimentar de nachos todos os dias nos faria voltar “rolando”, mas essa era a vontade.

Prove todos os pratos possíveis: nachos, quesadillas, burritos, etc. Os restaurantes do pueblo são muito mais autênticos, portanto, este é o melhor lugar para comer.

Além disso, não deixe de provar os deliciosos mojitos (que foram os melhores que já bebi em toda a minha vida), piñas coladas e vários outros drinks maravilhosos que eles servem. Depois disso tudo, não esqueça de comer uma paleta deliciosas para se refrescar.

Onde ficar em Tulum

Em Tulum há acomodações variadas e que cabem em, praticamente, todos os bolsos. Não espere encontrar os grandes hotéis de Cancún, lá a vibe é outra.

A cidade é pequena, tranquila e totalmente voltada para a natureza. Como disse no início do texto, muita gente vai para lá para relaxar e curtir a natureza, então, é de se esperar que as acomodações sejam mais “relaxadas” e “cool” do que em outros lugares.

Mas não se engane com o “relax” do local. A maioria dos lugares é meio rústico, porém, chique, sabe? Há de tudo: de glampings à hotéis incríveis na beira de um penhasco e sem energia elétrica.

Os hotéis do pueblo tendem ser mais baratos e, na praia, os preços sobem consideravelmente.

Separei neste post dicas de hotéis para se hospedar em Tulum. Entre eles estão os que nos hospedamos, os que mais gostei quando estava procurando hospedagens para nossa viagem e outros que sonho em ficar um dia.

É importante lembrar que…

  • Alguns restaurantes – incluindo restaurantes caros – não possuem máquina para cartão, portanto, leve dinheiro. Ah, e é mais fácil pagar em pesos já que a conversão para dólar é péssima;
  • Dar gorjeta é comum nos restaurantes. É esperado um mínimo de 10%, mas é costume dar em torno de 15%;
  • A rua principal da praia não possui iluminação pública. Alguns hotéis acoplam uma pequena lanterna junto com a chave do quarto para que você possa caminhar com mais facilidade durante a noite;
  • A cidade é muito consciente sobre a natureza, há uma grande parte de mata preservada e a maioria dos restaurantes não serve canudos com o intuito de preservar o meio ambiente.

E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

Uma fotógrafa que ama fotografar (claro!), viajar, comer, beber, fazer compras, viajar, ler, usar roupas bonitas, ver o pôr do sol, viajar, descobrir coisas novas, decorar a casa, passar horas na Netflix, viajar e conversar sobre todos estes assuntos.