A Patagônia nos encantou, mas nos encantou de tal forma que pensamos que talvez tenha sido uma das viagens mais marcantes de nossas vidas.

O lugar remoto e, por vezes, intocado, parece ter saído de um sonho. Estradas desertas, rios de um azul claro intenso, montanhas com picos cheios de neve, as geleiras, tudo parecia ter saído de um filme – e com a trilha sonora de Eddie Vedder em “Into The Wild“.

Além de tudo, os argentinos são muito cordiais e receptivos por lá. As cidades são pequenas, então todos têm aquela calma e carinho do interior, sabe?

Bom, vamos conhecer um pouco mais sobre a Patagonia Argentina, então?

Dicas de Viagem: Patagônia Argentina

Moeda: Peso argentino

Eletricidade: 220 volts

Tomadas: Tipo C ou I, ou seja, de dois pinos arredondados (como o antigo padrão brasileiro) ou com três pinos achatados (sendo dois na diagonal e um deles na vertical).

Visto: Brasileiros não precisam de visto para turismo e podem permanecer no país por até 90 dias.

Documentos necessários para entrada no país: RG ou Passaporte (CNH e Certidão de nascimento não são aceitos)

Idioma: Espanhol

Planejando sua viagem para a Patagônia Argentina

Qual é a melhor época para ir?

A melhor época para ir à Patagônia é durante os meses mais quentes, ou seja, de dezembro a março. Durante esta época as temperaturas estão mais amenas e os dias são mais longos (amanhece em torno de 05h30 e escurece apenas perto das 21h30), portanto, dá para aproveitar muito e é possível fazer trilhas longas tranquilamente.

O verão é a alta temporada e, por isso, os preços tendem a ser maiores – e lá, por natureza, já é uma região cara. Mas, isso não quer dizer que você encontrará tudo lotado, como na Tailândia, por exemplo. A Patagônia, apesar de famosa, é relativamente inexplorada. Além disso, a região é muito grande e, mesmo com a grande quantidade de turistas, eles nunca chegam a ser um empecilho.

Mesmo indo no verão, não quer dizer que você não verá neve. O gelo estará presente nas montanhas mais altas. Apesar de ser verão, a média das temperaturas fica em torno de 15º, porém, a sensação térmica pode ser menor devido aos constantes e fortes ventos patagônicos. Para você ter uma ideia, em dezembro de 2017 acordamos numa manhã em El Chaltén com os termômetros marcando 2º.

Já durante o outono e primavera as temperaturas diminuem um pouco, mas ainda é uma ótima época para visitar. O outono, apesar de trazer temperaturas ligeiramente mais frias, traz também ventos menos constantes e as cores lindas das árvores que começam a tomar tons alaranjados. A média de temperatura, nesta época (tanto no outono quanto primavera), é de cerca de 5º.

No inverno há neve, mas é claro que vai depender da região que vai visitar. Os moradores de El Calafate nos disseram que lá na cidade, no último inverno (2017), nevou apenas umas 5 vezes.

Como chegar lá?

Não existem voos diretos para as cidades da Patagônia. Para chegar lá é necessário fazer escala em Buenos Aires. De Buenos Aires você pode ir facilmente para El Calafate ou Ushuaia. Na alta temporada – de dezembro a março – há diversos voos por dia.

As companhias aéreas que operam este trecho, saindo do Brasil, são LATAM e Aerolíneas Argentinas. Nós, particularmente, escolheríamos a LATAM. Você pode ir até Ushuaia e depois “subir” até El Calafate, ou fazer o caminho inverso, de El Calafate, até o “fim do mundo”.

Sobre o deslocamento entre cidades, tenha em mente que as distâncias são grandes entre Ushuaia e El Calafate, portanto, pode ser demorado ir de uma cidade para outra. De carro, são cerca de 13 horas. Além disso, para chegar lá você precisa passar por território chileno, o que significa que precisa pagar uma taxa – nada barata – para a locadora do carro.

Recomendamos que faça o trajeto de avião (as passagens, só de ida, custam em torno de R$ 400,00 por pessoa) e deixe para alugar um carro, se quiser, para ir de El Calafate à El Chaltén. As paisagens por lá são de tirar o fôlego.

Quanto custa viajar para a Patagônia Argentina?

Patagônia Argentina

Não vou mentir, viajar para a Patagônia não é barato. Na verdade, foi a nossa viagem mais cara de 2017. Passamos apenas dez dias por lá e não chegamos a ir para Ushuaia, porém, os valores ficaram nas alturas mesmo assim. El Calafate é uma das cidades mais turísticas da Patagônia – junto de Ushuaia.

Há diversas opções de restaurantes, hotéis e agências de turismo. Entretanto, não há muito o que fazer na cidade, então a maior parte do turismo acontece longe do centro. Não é possível ir caminhando a quase nenhuma atração, portanto, ou você precisa pegar um ônibus, alugar um carro ou fechar um pacote em uma das agências de viagem.

Acomodação (valor médio da diária para um casal)

Básico: R$ 160,00

Mediano: R$ 350,00

Luxo: R$ 1.200,00

Alimentação (valor médio por pessoa)

Restaurante barato: R$ 40,00

Restaurante caro: R$ 120,00

Transporte

Dentro das cidades o segredo é locomover-se a pé ou alugar um carro. Já entre uma cidade e outra há mais opções.

Ônibus: de El Calafate para Rio Gallegos (um trecho de 300km com cerca de 4 horas de duração) o ônibus custa cerca de R$ 100,00, somente ida. Enquanto de Rio Gallegos à Ushuaia (que corresponde a um percurso de cerca de 11 horas e 580km), uma passagem de ida custa em torno de R$ 220,00. Fazendo o trajeto El Calafate > Ushuaia via Puerto Natales, o preço total da viagem sai por R$ 330,00.

Aluguel de carro: em torno de R$ 400,00 por dia, com taxas inclusas, política de tanque cheio e quilometragem livre – o carro mais básico. Tenha em mente que eles pedem seu cartão de crédito para debitar um valor caução (que no nosso caso foi de R$ 5.200,00).

Avião: uma passagem, só de ida, de El Calafate para Ushuaia (ou vice-versa) custa em torno de R$ 300,00 (levando em consideração o dia mais barato do mês de março).

Carona: vários viajantes afirmam que é muito seguro pegar – ou dar – carona. A região é frequentada por muitos turistas que estão, geralmente, indo e vindo para os mesmos lugares. Caso você se sinta confortável, vá de carona e economize no preço das passagens.

Passeios (valor estimado por pessoa)

Como disse, há muitos passeios a serem feitos na região, já que alguns deles você não pode, simplesmente, fazer sozinho. Há aqueles que você depende de barco, de guia ou simplesmente de um transporte. Portanto, saiba que você, muito provavelmente, terá custos com os passeios, diferente de muitos outros lugares onde é possível fazer tudo quase que “de graça”.

Entrada no Parque Nacional Los Glaciares: Cada vez que entra nos parques nacionais você paga cerca de R$ 100,00 (exceto em El Chaltén, onde não há cobrança).

Entrada no Parque Nacional Terra del Fuego: Para ter acesso ao Parque Nacional é necessário pagar uma taxa de cerca de R$ 50,00.

Partindo de El Calafate

Minitrekking Perito Moreno (com shuttle) ­– caminhada de 1h30m sobre o Perito Moreno: R$ 600,00

Big Ice (com shuttle) – caminhada de 3 horas sobre o Perito Moreno: R$ 1.000,00

Excursão de 1 dia para El Chaltén: R$ 500,00

Tour de 4×4 no Calafate Mountain Park (3 horas de duração): R$ 250,00

Navegação próximo ao Glaciar Upsala e Spegazzini: R$ 700,00

Passeio de 1 dia à Estância Cristina e ao mirador do Upsala: R$ 1.000,00

Partindo de El Chaltén

Em El Chaltén você não paga entrada nos parques nacionais e a maior parte do turismo é baseado em trilhas. Você pode faze-las de forma gratuita.

 

Partindo de Ushuaia

Passeio para Martillo Island para ver os pinguins: R$ 600,00

Trem do fim do mundo: R$ 450,00

Trekking no Glacial Albino’s Eye: R$ 700,00

Passeio ao Canal Beagle e à Ilha das Focas: R$ 320,00

Que tipo de roupa levar para a Patagônia Argentina

Mesmo no verão a região costuma ser fria, portanto, é importante lembrar de se aquecer. Recomendamos que leve várias roupas para que possa se vestir em “camadas” e ir tirando uma ou outra blusa quando for necessário, principalmente se vai fazer alguma trilha, já que o corpo começa a esquentar.

Recomendamos que leve algumas blusas de manga curta para usar por baixo além de calças confortáveis para trilhas – como leggings. Shorts/bermudas também são uma ótima opção se você for um pouco mais encalorado. Além disso, se você tiver, leve roupas impermeáveis e luvas. Para passeios no gelo, o ideal é que você tenha uma calça impermeável e é necessário que vá de luva (para não se cortar no gelo caso caia).

Leve blusas fininhas e térmicas para usar por baixo. Uma ou duas blusas de fleece para te aquecer e uma jaqueta impermeável para te proteger nos dias chuvosos. Caso você não tenha calças impermeáveis ou roupa suficiente para o frio, em El Calafate há inúmeras lojas que vendem todo o tipo de equipamento e roupas e também alugam calças, jaquetas e outras roupas de frio.

Não se esqueça de levar acessórios como touca, cachecol e óculos escuros (que vão proteger seus olhos caso pegue um dia ensolarado na visita às geleiras), além de protetor solar e protetor labial.

Recomendamos também que leve uma bota de trekking para que possa fazer as trilhas e passeios com tranquilidade. As botas lhe darão mais estabilidades e facilitam na hora de colocar os grampos para caminhar no gelo, caso vá fazer algum desses passeios.

Nós compramos as nossas na Decathlon. A minha é esta e a do Matheus é esta. Elas foram ótimas durante todo o tempo e não nos machucaram.

Melhores coisas para fazer na Patagônia Argentina

Dirija pela Ruta 40

Uma das melhores experiências, sem dúvida, foi dirigir pelas estradas desertas da Patagônia Argentina. Foi emocionante e, confesso, meus olhos se encheram de lágrimas logo que saímos de El Calafate para ir à El Chaltén.

As estradas estão em um excelente estado de conservação e a cada curva há uma vista de tirar o fôlego. O Lago Argentino é enorme e de uma cor inacreditável, e observá-lo com as montanhas cheias de gelo atrás é uma sensação indescritível.

Patagônia Argentina
Matheus e o nosso carro alugado na Rota 40.

Apesar de o aluguel de carro ser um pouco caro, pensamos que valeu a pena pelo fato de que pudemos parar (acho que paramos mais de 10 vezes na ida para El Chaltén) e apreciar cada um daqueles lugares no nosso tempo.

Faça o Minitrekking no Perito Moreno

É claro que você deve ir nas passarelas ver o Glacial Perito Moreno de frente, com toda a sua imponência, e esperar até que um bloco de gelo se desprenda. Porém, não há experiência mais incrível do que andar sobre ele.

Mesmo para quem nunca fez este tipo de trekking (como nós) eu recomendo, e muito, a experiência. Além de andar sobre o gelo, durante o caminho o guia te explica muitos detalhes sobre o Glacial, sua formação e seus detalhes. É incrível poder observar os tons de azul de todo aquele gelo.

Faça a trilha até o Fitz Roy

El Chaltén é conhecida, principalmente, por suas trilhas. Na verdade, a jovem cidade só existe por causa disso. A mais famosa trilha de El Chaltén é a trilha ao Fitz Roy (ou Chaltén), que tem cerca de 23km (ida e volta).

Parece exaustivo, mas a verdade é que a maior parte da trilha é feita num terreno relativamente plano e de terra bem batida, entre árvores, fácil de caminhar. A pior parte é o último quilometro da trilha, onde há uma elevação de 400m entre pedras.

Mas é claro que todo o esforço compensa assim que você chega lá. É impossível entender, através de uma foto, a beleza do lugar. O Fitz Roy é gigante e aos seus pés há uma lagoa linda de um azul profundo, com água gelada e potável. Nós passamos mais de duas horas lá em cima, apenas admirando a beleza daquele lugar.

Coma um waffle com doce de leite

Eu amo doce de leite – e o doce de leite argentino é especial. Só fica melhor em cima de um delicioso waffle. Depois de um dia cansativo, esta era a nossa recompensa. Os waffles deles são especiais e o doce de leite os transformam numa refeição de morrer.

Prove carne de cordeiro e truta

Para ser sinceros, nós não curtimos muito, mas, vai que você gosta?! Nós gostamos de sempre provar os pratos típicos da região para onde vamos, portanto, fizemos questão de comer um cordeiro assado. Não achamos nada demais, mas vale pela experiência.

Já a truta, comum e regiões de águas frias, é uma delícia. O peixe é típico da região e é servido de diversas formas. Vale a pena provar.

Veja os pinguins em Ushuaia

Nós, infelizmente, não tivemos tempo suficiente para ir até Ushuaia e, por isso, não pudemos fazer esta visita. Mas todos com quem conversamos e que visitaram a ilha dos pinguins disseram que vale a pena. Imagina vê-los ali, de pertinho, no seu habitat natural?!

Onde ficar na Patagônia Argentina

Para uma estadia na Patagônia Argentina recomendamos que hospede-se nas três cidades (El Calafate, El Chaltén e Ushuaia), se tiver tempo.

Em El Calafate e Ushuaia há mais turismo convencional, mais passeios e programas para todas as idades. Em El Chaltén o turismo já é um pouco mais diferente, mais focado no trekking e caminhadas. Apesar de pequenas, todas as cidades tem uma boa estrutura com bons restaurantes, supermercados, lojas e agências de turismo.

Em nossa viagem tentamos escolher os hotéis mais baratinhos com a melhor avaliação e internet (já que precisávamos trabalhar).

É importante lembrar que…

  • O vento patagônico é forte; principalmente no verão. O tempo é inconstante e muda com facilidade, portanto, reserve dias extras em cada lugar se quer pegar um dia ensolarado;
  • A propina (gorjeta), geralmente, não está inclusa e o mínimo recomendado é de 10%;
  • É expressamente proibido fumar em qualquer parte dos parques nacionais já que o risco de incêndio é altíssimo;
  • Há pouquíssimos postos de combustível nas estradas. Na verdade, há um posto de combustível em El Chaltén e outros dois em El Calafate. Portanto, caso vá fazer uma viagem longe, sempre encha o tanque. PS: Os postos não são 24h, abasteça durante o dia.

E aí, curtiu as dicas? Tem mais alguma pra compartilhar? Deixe um comentário aqui nos contando!

Se quiser salvar este post para ler depois, salve a imagem abaixo no seu painel do Pinterest! Aproveite e siga nosso perfil por lá clicando aqui!

Uma fotógrafa que ama fotografar (claro!), viajar, comer, beber, fazer compras, viajar, ler, usar roupas bonitas, ver o pôr do sol, viajar, descobrir coisas novas, decorar a casa, passar horas na Netflix, viajar e conversar sobre todos estes assuntos.